Amigos descrevem juiz como religioso e ligado à família

Magistrado desde os 24 anos, Maurício Fossen tem dois filhos e é considerado estudioso e ético pelos colegas

Marici Capitelli, Tatiana Fávaro, O Estadao de S.Paulo

23 Março 2010 | 00h00

Aos 41 anos, o juiz Maurício Fossen, que preside o julgamento do casal Nardoni, é pouco conhecido pelos advogados criminalistas mais famosos da cidade. Entre esses profissionais, é considerado um magistrado com pouca experiência, que nunca participou de casos de repercussão. Ele ocupa o cargo no 2º Tribunal do Júri desde 11 de janeiro de 2008. "Um juiz com tão pouca experiência criminal pode não ter o equilíbrio necessário", afirma um criminalista que já esteve à frente de casos que comoveram o País.

Fossen, que nasceu em Jundiaí, já passou por varas da Família e pela 1ª Vara da Fazenda Pública. Nessa, chegou a condenar o ex-prefeito Paulo Maluf por não pagar precatórios inscritos do orçamento de 1996. Advogados que conhecem a carreira de Fossen afirmam que, por coincidência, ele foi o juiz que estabeleceu o valor da pensão alimentícia para Isabella Nardoni quando estava na Vara da Família.

Avesso a qualquer tipo de aparição pública, o caso de maior repercussão que presidiu foi em 17 de fevereiro de 2009, quando o Tribunal do Júri condenou dois homens por tentar matar policiais militares em um ataque a uma base comunitária na zona norte.

Ético. Nascido em Jundiaí, interior de São Paulo, ele formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP) em 1990. É filho do ex-prefeito de Jundiaí, Ary Fossen, e de Maria Alice Fossen. Após formar-se, aos 22 anos, passou dois anos atuando como advogado em São Paulo e preparando-se para prestar concurso público. Maurício Fossen iniciou a carreira na magistratura aos 24 anos. Passou por comarcas de Cordeirópolis, Limeira e Pirassununga, no interior paulista, até assumir o cargo na Vara da Fazenda, em São Paulo.

De acordo com pessoas próximas ao juiz, ele sempre foi muito estudioso, ético e religioso ? segundo o pai, ele frequenta a Igreja Católica com a família. Casado há 15 anos e pai de dois filhos, com 10 e 5 anos, Fossen é considerado pai e filho participativo, apesar da rotina difícil. "Ele é muito amoroso, muito família. Quando um dos três cachorros que ele tem morreu, ele até chorou juntamente com os filhos", disse ao Estado o ex-prefeito Ary Fossen. "É muito próximo e presente, e também é muito ético profissionalmente e não comenta os assuntos de trabalho", afirmou o pai.

Quando decretou a prisão preventiva do casal, em maio de 2008, Fossen justificou "que tratava de pessoas desprovidas de sensibilidade moral". E completou dizendo que os acusados não tinham "um mínimo de compaixão humana".

Preocupação. Ary Fossen diz que ele e a mulher, Maria Alice, têm a "preocupação normal de pais" ao saber da exposição do filho em um caso de repercussão como o julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. "O que nos tranquiliza é ter a certeza de que o Maurício é muito equilibrado. E isso não é só conversa de pai, é com base em opiniões de gente importante, por quem ele já foi muito elogiado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.