Ambulatório do HC pode ser reaberto nesta quarta

Incêndio na véspera do Natal causa interdição do local; não há vítimas, de acordo com a direção

Camilla Haddad, do Jornal da Tarde,

25 de dezembro de 2007 | 12h41

A direção do Hospital das Clínicas (HC) informou no início da tarde desta terça-feira, 25, que o Ambulatório do hospital pode ser reaberto parcialmente na quarta-feira, 26, dependendo da desinterdição de alguns setores. O prédio foi atingido por um incêndio na noite de segunda-feira, 24.  A orientação do diretor-executivo do HC, Massayuki Yamamoto, é que pacientes reagendem as consultas previstas para esta quarta e que só vá ao hospital quem realmente necessite de atendimento - é provável que sejam atendidos no Instituto Central.  Veja também: Imagens do incêndio  Bombeiros investigam causas do incêndio no HC Incêndio atinge ambulatório do Hospital das Clínicas O Ambulatório ficaria mesmo fechado nesta terça por conta do feriado e reabriria na quarta. No momento do fogo, o local estava vazio, e não há vítimas, de acordo com comunicado da direção do HC divulgado no início da tarde. O Ambulatório está cheio de fuligem e sem energia. Por isso, não há condições de reabrir nesta quarta, conforme previsão anterior. Por volta do meio-dia, uma equipe de manutenção chegou ao Ambulatório para revisar o sistema de fiação. Eles se juntaram a peritos do Corpo de Bombeiros, que desde a manhã desta terça vistoriam o local para apurar as causas do acidente. A suspeita é que um curto-circuito tenha dado início ao fogo. No momento do incêndio, por volta das 22 horas desta segunda-feira, dia 24, duas pessoas pularam da janela do primeiro andar. De acordo com um dos diretores do HC, uma enfermeira e um paciente recém-saído de uma cirurgia tiveram apenas ferimentos leves e foram encaminhados a hospitais da região. Bolsas de sangue do ambulatório também foram transferidas para outro departamento. O Corpo de Bombeiros iniciou a perícia no prédio do Ambulatório na manhã desta terça-feira, 25. Sete equipes da corporação acompanharam os trabalhos para descobrir as causas do fogo que atingiu o subsolo do edifício e provocou a transferência de pacientes. A suspeita é que o incidente tenha sido provocado por um curto-circuito por volta das 22 horas de segunda. A fumaça, no entanto, atingiu o prédio do Instituto Central, situado ao lado do Ambulatório, resultando na transferência de quatro pacientes do setor do pós-operatório para a Santa Casa de São Paulo e de cerca de 20 pacientes do 8º andar para outra área dentro do complexo do HC por conta do forte cheiro da fumaça. O que mais impressionou foi a quantidade de fumaça gerada pelo incêndio. Duas horas depois, à 1 hora, a situação já havia sido totalmente controlada pelos bombeiros, que ajudaram no esvaziamento do prédio do ambulatório. Por volta da 0h30 desta terça, o governador José Serra esteve no local e disse que nada de grave ocorreu. Ao ser questionado sobre o fato das portas de emergência do prédio estarem trancadas no momento do incêndio, o governador não quis responder e passou a pergunta ao comandante dos bombeiros que estava presente. Segundo o coronel Manuel Antonio da Silva Araújo, as portas não estavam trancadas. (Com Elvis Pereira e Ricardo Valota, do estadao.com.br) Texto alterado às 14h42 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
HCIncêndioSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.