Amante pode ir à Justiça pedir parte da herança

O advogado Roberto Parentoni disse ontem que sua cliente, a garota de programa Natália, tinha um relacionamento amoroso com Marcos Matsunaga havia mais de um ano e pode ir à Justiça requerer parte dos bens do executivo. "Na minha opinião, ela tem direito", disse o advogado.

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h04

A informação de que Natália conhecia Matsunaga havia mais de um ano contradiz o próprio depoimento dela à polícia, quando disse que se envolveu com o executivo como garota de programa em fevereiro. "Ela omitiu informações", disse Parentoni, destacando que novas declarações devem ser juntadas ao processo.

Segundo a nova versão, Natália não era mais acompanhante quando conheceu o executivo e o amava. Os R$ 27 mil que recebeu de Matsunaga seriam para começar uma nova vida com ele. E o carro blindado, de R$ 100 mil, teria sido dado para que ela se protegesse de Elize, que já saberia do caso. Parentoni disse que Natália tem medo de morrer./ W.C

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.