Amante de ex-candidato a vereador é morta com tiro em Pilar do Sul

Crime ocorreu na noite de sábado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2016 | 17h43

SOROCABA - A costureira Luciana Gonçalves da Silva, de 36 anos, foi morta com um tiro quando namorava no carro com o ex-candidato a vereador José Antonio Gomes, o Zelão (PTB), na noite de sábado (19), em Pilar do Sul, interior de São Paulo. O político também foi atingido por um disparo de raspão no rosto. Ele alega que os tiros foram disparados por um desconhecido que surpreendeu o casal fazendo sexo, numa estrada da zona rural. O homem teria repreendido Gomes por ele ser casado.

A Polícia Civil suspeita que o ex-candidato matou a amante e atirou em si mesmo para dar credibilidade à sua versão. Isso porque foram encontrados resíduos de pólvora na mão de Gomes. Conforme o relato do suspeito, o homem teria se aproximado do carro e, após dizer “você é um homem casado”, atirou na mulher e, em seguida, disparou contra a cabeça de Gomes. Ele teria se fingido de morto, enquanto o homem pegava as roupas e os celulares dele e da amante e fugia. 

O político ligou o carro, foi até sua casa se vestir e se dirigiu ao hospital da cidade, levando a mulher morta e nua. Os médicos constataram que Luciana levou um tiro no tórax, enquanto ele teve a bochecha perfurada. Gomes foi levado para o Hospital Regional de Sorocaba e ficou internado sob escolta, enquanto o caso é investigado. A mulher foi velada em Pilar do Sul e seria sepultada, ao fim da tarde deste domingo, no Cemitério São João Batista, em Votorantim. Nas eleições municipais para vereador, em outubro, Zelão teve 183 votos e não se elegeu.

Feminicídio. Jéssica Batista dos Santos, de 25 anos, foi morta com um tiro na nuca pelo marido, Maykel Nunes do Nascimento, de 23, na noite de sábado (19), em Ourinhos, interior paulista. De acordo com a Polícia Civil, vizinhos do casal no bairro CDHU ouviram uma discussão entre eles e o barulho de um tiro. A Polícia Militar encontrou Jessica tombada na porta da casa. Ela foi levada à Santa Casa, mas não resistiu. O suspeito fugiu e não tinha sido encontrado até a tarde deste domingo. Testemunhas relataram brigas por ciúmes. Segundo a polícia, Nascimento deve responder pelo crime de feminicídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.