Alunos estreiam bikes de bambu

Projeto começou ontem na zona leste da capital

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2012 | 03h02

Começou ontem o programa Escolas de Bicicletas, projeto da Prefeitura que pretende fazer com que 4,6 mil alunos da rede municipal usem bicicletas para ir e voltar da casa para a escola. A primeira escola que inaugurou o programa foi o CEU São Mateus, na zona leste. Um grupo de 20 alunos com idade entre 12 e 14 anos usou as bicicletas de bambu para se deslocar nas ruas do bairro em comboio.

O Estado acompanhou o trajeto, de cerca de 1 km, da volta para casa, em uma ciclorrota planejada por monitores de acordo com a localização da casa dos alunos. A repercussão no bairro foi positiva: não era raro ouvir elogios às bicicletas e pedidos de outros alunos da rede municipal para participar do programa. Carros e micro-ônibus respeitaram o comboio.

Antes de sair pedalando, os alunos tiveram cerca de um mês de aulas de trânsito e treinamento com as bicicletas. Dois monitores vão acompanhar diariamente o grupo, na ida e na volta da escola. No caso do CEU São Mateus, ficou combinado que as crianças serão acompanhadas até dois pontos de encontro próximos das casas, de onde são liberadas pelos monitores para continuar sozinhas o trajeto.

Segundo a gestora do CEU, Rosemir Cardoso, os pais estão animados. "Eles estão adorando. A maioria vinha a pé, sozinha. E a comunidade se animou muito com o projeto, todo mundo está respeitando o grupo." A aluna Verônica de Souza, de 14 anos, confirma. "Eu caminhava 25 minutos sozinha, às vezes com meu primo, mas ele falta muito. Minha mãe agora está tranquila."

Segundo o coordenador do projeto, Daniel Guth, a meta é que, até o fim do ano, cerca de cem crianças, em cada um dos 46 CEUs da cidade, já estejam nas ruas. "Todos os grupos vão passar por treinamento."

As bicicletas, de bambu, são produzidas no CEU Jardim Paulistano. Além das bikes, são entregues capacetes, iluminação, colete refletivo, bagageiro e alforje, buzina, espelho retrovisor e cadeado para cada aluno. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, o programa está orçado em R$ 3,1 milhões - que inclui a montagem das bikes. Já a operação e manutenção deverá custar cerca de R$ 1,4 milhão por ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.