Alunos da Unicamp reabrem rádio clandestina

No domingo, após determinação de busca e apreensão, os materiais e a antena foram removidos

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2014 | 16h51

CAMPINAS - Os estudantes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ocuparam mais uma vez o espaço dentro da torre da caixa d'água do câmpus, na madrugada desta terça-feira, 25, e colocaram no ar a Rádio Muda, emissora clandestina mantida no local há mais de 20 anos.

No domingo, 23, policiais militares e seguranças privados da Unicamp cumpriram determinação de busca e apreensão na rádio, da Justiça Federal, atendendo pedido da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Os materiais e a antena da rádio foram removidos. Seguranças privados da universidade chegaram a ocupar o espaço para evitar nova invasão. Na madrugada, quando eles deixaram o local, a torre foi invadida pelos estudantes que estavam acampados no seu entorno.

O movimento foi apoiado pelo Diretório Central Estudantil (DCE), que classificou de autoritária a medida de fechamento. Pela internet, usando as redes sociais, estudantes anunciaram que colocaram a rádio no ar, em outra frequência, mas que o acampamento vai ser mantido.

"A situação ainda é instável continuamos acampados e de plantão dentro da caixa d'água e ao redor dela. É importante ocupar, ainda estamos sem portas", escreveram os alunos.

O pedido à Justiça foi feito pelo Ministério Público Federal, que informou que a rádio não tem autorização e funciona de maneira irregular. Desde 2012, o órgão investiga a rádio.

Segundo o procurador Edilson Vitorelli, além de ilegais por funcionarem sem autorização, a rádio pode interferir na segurança aérea. Pilotos de avião têm relatado interferência na comunicação durante os pousos e decolagens no Aeroporto Internacional de Viracopos.

Mais conteúdo sobre:
Rádio Muda Unicamp rádio clandestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.