Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Alunos da FEA-USP prostestam por segurança após morte de estudante

Segundo diretor do Centro Acadêmico, falta segurança em todo o campus da USP

Priscila Trindade e Pedro da Rocha, estadão.com.br

19 de maio de 2011 | 08h15

São Paulo, 19 - Os alunos do Centro Acadêmico da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), no Butantã, na zona oeste da cidade, permaneciam em frente a unidade, por volta das 8 horas desta quinta-feira, 19, em protesto a morte de um colega na noite de quarta-feira, 18.

 

Veja também:

linkEstudante é assassinado dentro do estacionamento da FEA-USP

Nesta manhã, os estudantes se organizavam para caminhar até a reitoria da universidade e entregar uma carta exigindo mais segurança no campus.

As aulas previstas para começar as 7h30 podem ser suspensas pela própria FEA. Um comunicado deve ser divulgado nas próximas horas pela assessoria de imprensa da universidade.

O diretor do Centro Acadêmico da FEA, Antonio Raviolli, já havia confirmado a realização do protesto "Vamos mostrar para todos a falta de segurança não só na FEA, mas em todo o campus. Vamos tentar mobilizar o maior número de pessoas possível através do Facebook."

Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, aluno do curso de Ciências Atuariais, foi assassinado no estacionamento da faculdade, por volta das 21h30, durante luta corporal com um suposto assaltante.

Um guarda universitário ouviu um disparo e correu para o estacionamento da faculdade. Lá, encontrou Felipe já morto perto de seu Passat azul-marinho blindado. Um dos pés do rapaz estava dentro do carro e o resto do corpo, do lado de fora. Ao lado, havia uma chave quebrada, um celular e óculos.

Testemunhas contaram à polícia que, logo após sair da aula, Felipe foi seguido por um homem até o estacionamento. Após abordagem, o estudante entrou em luta corporal com o suposto assaltante, a ponto de quebrar uma maçaneta do veículo. Foi quando o assassino sacou a arma. Felipe ainda tentou entrar no carro blindado, mas não deu tempo. Após balear o jovem, o bandido fugiu sem levar nada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.