Aluno invade escola, atira e fere 3 na PB

Polícia acredita que o ataque foi motivado por ciúme: atirador teria discutido com a namorada e ameaçado matar estudante

ADELSON BARBOSA DOS SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO , JOÃO PESSOA, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2012 | 03h08

Armado com um revólver calibre 38, um rapaz, menor de idade, invadiu, na tarde de ontem, as dependências da Escola Estadual Enéas Carvalho, na cidade de Santa Rita (Região Metropolitana de João Pessoa), e atirou contra os alunos. Três adolescentes foram feridos. O crime aconteceu por volta das 13h30, quando os estudantes se dirigiam para as salas de aula.

Segundo a Polícia Militar, dois jovens ainda não identificados chegaram ao colégio em uma motocicleta e invadiram o pátio, onde os alunos se concentram antes das aulas e nos intervalos. Os dois estavam vestidos com o uniforme da escola.

Um deles atirou contra o adolescente J.E.S., de 15 anos, aluno da 6.ª série do ensino fundamental. O tiro atingiu a perna direita do adolescente. O atirador disparou outras cinco vezes e atingiu duas garotas. Houve tumulto e os dois fugiram em seguida. A direção da escola reconheceu o rapaz que estava na companhia do atirador. Ele é aluno da escola e teve a identidade preservada.

J.E.S. foi socorrido por um carro da Polícia Militar para o Hospital de Trauma de João Pessoa. As duas garotas - R.A.S., de 17 anos, e outra que não teve a identidade revelada - foram socorridas para o Hospital Flávio Ribeiro Coutinho, em Santa Rita. Uma delas foi baleada no braço direito e a outra no pé esquerdo. Os estudantes feridos não correm risco de morte.

De acordo com as primeiras informações levantadas pela PM, o motivo do crime teria sido ciúme. Testemunhas disseram à polícia que o atirador tinha discutido com a namorada, no dia anterior, e o motivo teria sido a amizade dela com J.E.S.

Segundo o tenente Ulysses Costa, o estudante teria dito, após a discussão com a namorada, que mataria J.E.S. As garotas feridas disseram à polícia que foram baleadas por acaso. O Núcleo de Homicídios da Delegacia de Santa Rita abriu inquérito. Depois do tumulto, as aulas foram suspensas. Até o fim da tarde, a PM ainda não havia localizado os dois rapazes.

Em maio do ano passado, um estudante teria efetuado dois disparos para o alto no colégio. Segundo a direção, ele se revoltou com a demora no fornecimento da merenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.