Aluno da Poli é achado morto em córrego

Ele participava da Taça Universitária de São Carlos, que une estudantes da USP e da UFSCar; a polícia ainda não tem pistas do que aconteceu

Paulo Saldaña e Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

O aluno da Universidade de São Paulo (USP) Ricardo Mitsuo Iwahashi, de 24 anos, foi encontrado morto ontem em um córrego de São Carlos (SP). Ele participava da tradicional festa da Taça Universitária de São Carlos (Tusca).

A Polícia Miltar foi acionada na manhã de ontem, por moradores que viram o corpo no Córrego Santa Paula. Ainda não há pistas do que aconteceu. "Não descartamos nenhuma possibilidade, mas não há sinais de ferimentos que não tivessem sido causados pela queda", disse o delegado titular do 3.º DP de São Carlos, Aldo Donisete Del Santo.

Iwahashi estava no 4.º ano de Engenharia da Computação da Escola Politécnica (Poli-USP), na capital. Ele foi com dois amigos para o evento de três dias organizado por alunos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da USP, que também tem câmpus na cidade.

O rapaz, conhecido como Alface, era integrante da bateria da faculdade, a Rateria. Entre as 15 comunidades das quais ele fazia parte no Orkut, oito eram sobre a USP ou a bateria; as outras sete eram sobre bebidas alcoólicas.

Os amigos do estudante disseram à polícia que a última vez que estiveram com ele foi no início da noite de quinta-feira, dia de abertura do Tusca. O Córrego Santa Paula fica no trajeto do corso - tradicional percurso de trio elétrico. Segundo o delegado, ambos afirmaram que o estudante havia ingerido bebida alcoólica. "Vamos aguardar os exames para saber se a causa da morte foi traumatismo, afogamento ou outra coisa." Os laudos ficam prontos em 30 dias, no mínimo.

Segurança. Segundo a polícia, muitos participantes estavam no parapeito da ponte sobre o córrego. "Quando passei pela ponte, por volta de 20 horas, vi um pessoal brincando de descer até o córrego pelas vigas da ponte", disse um dos estudantes que participava da festa, Mario José Bertonha Filho, de 21 anos.

No fim da tarde, a família do estudante já estava em São Carlos. "Sentimos muito o acontecimento e oferecemos todo o apoio necessário à família", disse o diretor da Poli-USP, José Roberto Cardoso. A direção do câmpus da USP em São Carlos divulgou nota em que lamenta a morte e esclarece que o Tusca não é um evento oficial da universidade. A UFSCar não se manifestou.

Um dos membros da comissão organizadora do Tusca, Luciano Resende, disse que todos ficaram sabendo da morte pela imprensa. "Em 30 anos de festa nunca houve nenhum acidente grave." Em nota no site, a organização da festa lamenta a morte e informa que suspendeu as comemorações da noite de ontem. Os jogos foram mantidos.

PARA LEMBRAR

Em 2003, jovem sumiu na ''peruada''

Em 17 de outubro de 2003, o estudante de Engenharia Angelo Cominelli, de 20 anos, desapareceu durante a "peruada", festa dos alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco que percorre o centro da capital. Três dias depois, seu corpo foi localizado no Rio Tamanduateí, que fica próximo da rota da festa. O corpo não apresentava sinais de violência. Laudo do Instituto Médico-Legal indicou que Cominelli tinha ingerido muito álcool. A causa da morte havia sido afogamento. Na época, uma das hipóteses da polícia era de queda acidental no rio. O universitário era de Cerqueira César, no interior paulista, e estudava na Universidade de São Paulo (USP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.