Aluna da Unesp morre em intercâmbio em Portugal

Um dia antes de voltar ao Brasil, Thaís Gonçalves foi internada em Braga; família quer autópsia para saber causa da morte

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2011 | 03h04

O corpo da estudante Thaís Caroline Gonçalves, de 22 anos, morta em Portugal no domingo, pode demorar mais do que o previsto para chegar ao Brasil. A família quer autópsia para esclarecer a causa da morte.

Ontem, a mãe da estudante, Maria Vitória Gonçalves, desembarcou em Portugal, onde foi recebida por uma psicóloga e um professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Julio de Mesquita Filho, onde Thaís estudava, além de um representante do Itamaraty e de um amigo da família.

Thaís era natural de Ouro Fino (MG) e cursava Relações Internacionais em Franca. Há seis meses, foi para Portugal fazer intercâmbio e tinha volta para o Brasil marcada para o domingo passado.

"Ela gostou tanto que pensou em prorrogar o curso por mais seis meses e concluí-lo lá. Mas a mãe não quis. Depois, ela desistiu e pediu para marcar a passagem para domingo. Já estava em contagem regressiva, com malas prontas", contou a prima da jovem, Maria Aparecida Gonçalves Pereira. Segundo ela, a família já havia preparado uma festa para recepcionar a estudante.

No dia anterior à viagem, porém, Thaís começou a passar mal e foi levada para um hospital de Braga, no norte do país. Segundo Maria Aparecida, a família foi avisada sobre a internação ainda no sábado e Maria Vitória, preocupada, marcou passagem para a segunda-feira. "Quando ligaram, disseram que ela estava bem, conversando. No dia seguinte, ligaram de novo dizendo que ela havia morrido. Queremos saber o que aconteceu."

Oficialmente, Thaís foi vítima de parada cardiorrespiratória, mas, de acordo com Maria Aparecida, a jovem nunca teve nenhuma doença grave e não reclamou de nada no período em que esteve fora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.