Altura, peso e cara de modelo. Mas é miss

Conceito hoje é o da 'beldade flex'; no passado, concorrentes eram mais cheinhas

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2010 | 00h00

Campeã. Débora Lyra comemora o título de Miss Brasil 2010

 

 A miss Paraná tem 1,77 metro e 58 quilos. Seus braços fininhos são apenas um pouco mais fortes que os da miss Ceará, 1,80m, 56kg. Ao lado está a miss Mato Grosso do Sul: 1,79m, 55kg. A do Rio Grande do Norte mede 1,78m e pesa 59kg. Disputado anteontem no Memorial da América Latina, o concurso Miss Brasil 2010 lançou a categoria "beldade flex": aquela que funciona como miss e modelo.

"As candidatas de hoje "modelam" desde garotas, porque a mídia da passarela fashion é muito maior. As misses de outras décadas chegavam cruas, depois de fazer o curso normal para ser professora. Não existia essa história de "modelar"", diz Boanerges Gaeta Júnior, que há 16 anos é diretor executivo do Miss Brasil.

Só para dar uma referência, Martha Rocha, a Miss Brasil 1954, tinha 1,70m, 58kg e 100cm de quadril, uma verdadeira heresia fashion. Vera Fischer, idem. Ieda Vargas media 1,68m e pesava 56kg.

Hoje, além de confundir pelas medidas, miss e modelo andam trocando cacoetes de postura. No ensaio para a final de 2010, as híbridas criaturas posam com o pezinho ligeiramente inclinado, um pouco à frente, e, logo depois, caminham como se estivessem numa passarela. Apesar de vestirem maiô e sapato alto, seguem pelo palco até alcançar uma espécie de pit de fotógrafos imaginário, fazem um meneio de ombros com a mão na cintura, dão marcha à ré de três passos, giram 180º e caminham na direção oposta.

Por sua vez, a passarela da moda anda desanuviada. Ao que tudo indica, o mau humor fashion está passando. "Ninguém mais quer ver mulher desfilando com cara de emburrada", diz o diretor da agência Mega, Eli Hadid.

Ele cita o exemplo do Monange Dream Fashion Tour, que classifica como "uma revolução no conceito de desfiles". No megaevento, que há dois anos viaja o Brasil inteiro, modelos consagradas como Isabeli Fontana, Fernanda Tavares e Carol Trentini entram na passarela rindo, dançando e interagindo com o público. "É o que elas mais gostam de fazer", diz Hadid.

A vencedora do Miss Brasil 2010, Débora Lyra, de 20 anos, concorrente de Minas Gerais, decidiu-se pelos concursos de beleza aos 12 anos, numa época em que o "emburramento fashion" ainda estava em alta. "Adoro desfilar rindo",explica.

Débora concorreu a nada menos que 11 concursos de beleza e ganhou nove. Suas histórias de brigas com a balança, porém, lembram alguns clássicos das modelos fashion. Com 1,80m, 59kg e o famigerado quadril 90cm que tanto assombra as colegas de passarela, a miss Brasil 2010 diz que, por duas vezes, já foi 15 quilos mais gorda. Antes de entrar no palco do Memorial, ela se perguntou (imagina se Martha Rocha ouve isso): "Meu Deus, será que eu malhei pouco e comi demais?"

No momento, Débora está rindo mais do que nunca - e não só enquanto desfila, mas também parada e até sentada. Além de R$ 200 mil em contratos de trabalho, ela ganhou um Chevrolet Captiva e, claro, a possibilidade de se eleger a mulher mais linda do mundo.

TRECHOS DO DIÁRIO

"Acordei meio indisposta hoje. Sei que prometi fazer tudo em dobro na academia, mas

realmente não estava me sentindo bem.

Faltei. Mas calma! No finalzinho da tarde, corri uns 40 minutos no condomínio. Não é muito, mas, considerando a minha dor de cabeça, foi um esforço válido (...)."

"Nos classificados, há anúncios de garotas de programa e, em um deles, estava escrito: "Miss Amazonas. Uma noite com a mulher mais bonita do Estado." (...) Um absurdo usarem meu título para se promover dessa maneira. Meu coordenador passou a manhã na delegacia e tem nome, telefone e RG desta pessoa."

LILIAN LOPES, MISS AMAZONAS E 2º LUGAR NO CONCURSO MISS brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.