Alphaville: filha é suspeita da morte de empresário

A filha e o genro do empresário Wilson Tafner, de 64 anos, e da advogada Tereza Cobra, de 60, são os principais suspeitos do assassinato do casal. Eles foram mortos a facadas no dia 2 de outubro, em Alphaville, em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo. Não há testemunhas presenciais do crime, que a polícia espera esclarecer com base na prova técnica: laudos e exames feitos pela perícia criminal.

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2010 | 00h00

"Aguardamos os resultados dos laudos. Ainda é cedo para fazer acusações", afirmou o delegado Youssef Abou Chahin, titular da Delegacia Seccional de Itapecerica da Serra, cujo setor de homicídios cuida do inquérito. A polícia investiga o papel de Roberta, de 29 anos, a filha do casal.

Inicialmente, Roberta é uma das testemunhas do inquérito. A filha teria brigado com a mãe e deixado o escritório de advocacia dela, no qual trabalhava. Depois, Roberta teria passado a pedir 30% das empresas do pai. Ela morava com o marido em uma casa no condomínio que lhe havia sido cedida pelos pais.

No dia do crime, a polícia registrou o caso como roubo seguido de morte. O empresário levou dez facadas e a advogada foi golpeada 16 vezes.

Os peritos criminais encontraram manchas de substância semelhante a sangue no corredor da casa e pegadas. Nos próximos dias será concluído um exame de DNA que pode definir a autoria do crime. Segundo a polícia, a filha do casal alega inocência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.