Aliados de Serra agora querem fim da taxa de inspeção

Vereadores tucanos e do PV apresentam projetos para eliminar cobrança em janeiro; isenção da tarifa é promessa de Haddad

ADRIANA FERRAZ , DIEGO ZANCHETTA, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h06

Três dias depois das eleições, a bancada do PSDB e o vereador Gilberto Natalini (PV) apresentaram projetos ontem na Câmara Municipal que acabam com a taxa da inspeção veicular (R$ 46,40), a partir de 1.º de janeiro de 2013. O fim da cobrança foi uma das promessas de campanha do prefeito eleito Fernando Haddad (PT).

Logo após a vitória, porém, o petista argumentou que a medida só poderá ser implementada em 2014, já que precisa passar pela aprovação dos parlamentares um ano antes. "Se o prefeito realmente quiser cumprir sua promessa já no ano que vem, ele tem a chance agora. Estamos facilitando a vida dele", ironizou Floriano Pesaro, líder do PSDB.

A proposta da bancada tucana, assinada por sete dos oito vereadores da sigla, também inclui emenda que remaneja R$ 150 milhões no orçamento para garantir a implementação da medida no próximo ano. Só Tião Farias (PSDB) não assinou. "Nosso projeto acaba com a taxa, mas mantém a inspeção, que é algo bom para o meio ambiente", acrescentou Pesaro.

A manobra do PSDB para tentar constranger o prefeito eleito foi articulada na noite de terça-feira pela alta cúpula paulistana do partido, em jantar na casa do vereador eleito Andrea Matarazzo, no Morumbi, zona sul. No encontro estavam o candidato José Serra, o senador Aluísio Nunes, o ex-vice-governador Alberto Goldmann, Pesaro, entre outros integrantes da sigla em São Paulo. O grupo decidiu também que os vereadores tucanos vão apresentar um projeto que equipara o salário dos funcionários das creches municipais, cujo piso é de R$ 2.600, ao das unidades conveniadas do ensino infantil.

Natalini, ex-tucano que fez campanha para José Serra (PSDB), também apresentou projeto idêntico. Ele afirmou que "quem perde eleição tem de fiscalizar, não governar". Vereadores da bancada do PSDB, entretanto, dizem que Natalini "quis fazer sozinho" o que havia sido combinado de ser feito "em conjunto" um dia antes - ele teria sido avisado por Serra sobre a decisão tomada no jantar. O vereador do PV nega. "A proposta tem o objetivo de obrigar o prefeito eleito a cumprir a promessa feita a milhões de paulistanos", justificou.

'Chacota'. O PT reagiu e classificou de "chacota" a apresentação dos projetos. "Isso é no mínimo uma brincadeira de mau gosto. Eles (tucanos) querem fazer chacota com a opinião pública. É de um oportunismo político repugnante", afirmou o vereador José Américo (PT), um dos coordenadores da campanha de Haddad. Ele disse que não existe nenhuma decisão de o prefeito eleito enviar, via bancada do PT, um projeto de lei que acabe com a taxa já em 2013. "Isso é possível, mas ainda não foi discutido."

O compromisso de campanha de Haddad para acabar com a taxa da inspeção veicular assegurou parte dos votos da classe média. Na campanha, ele disse que seria uma de suas primeiras medidas revogar a cobrança, feita anualmente na capital desde 2009. Ontem o prefeito estava em viagem no Chile e não comentou os projetos apresentados por aliados de Serra que acabam com a taxa da inspeção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.