Alga em sapato é nova prova contra Mizael

Um resquício de alga invisível a olho nu tornou-se a nova prova da polícia contra o advogado e policial militar reformado Mizael Bispo de Souza, acusado de matar a ex-namorada Mércia Nakashima. Exames indicaram que partículas do vegetal presentes na sola de um par de sapatos de Mizael são iguais às da beira da represa onde a advogada morreu, em 23 de maio. Foram encontrados, ainda, manchas de sangue e resíduos de osso e chumbo."Essa alga é a mesma da represa. Eu me sinto à vontade para dizer que o sapato estava no local do crime", afirmou o perito Renato Pattoli, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2010 | 00h00

A polícia apreendeu o par de sapatos na casa de Mizael, em Guarulhos, Região Metropolitana, poucos dias após o crime. "Vamos mostrar que a alga existe em vários lugares e não só nessa represa", diz o advogado de defesa Samir Haddad Júnior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.