Reprodução | 02.10.2015
Reprodução | 02.10.2015

Alexandre Padilha é hostilizado em restaurante de São Paulo

Secretário de Saúde de São Paulo, Padilha disse que "posturas como estas" o animam a continuar trabalhando

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

02 de outubro de 2015 | 16h12

Secretário de Saúde da Prefeitura de São Paulo e ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha foi hostilizado em um restaurante da capital paulista na tarde desta sexta-feira, 2. Ele teve que deixar o local às pressas, sob os gritos de “ladrão”.

Padilha estava acompanhado de um funcionário da prefeitura, quando foi reconhecido e alguns clientes começaram a hostilizá-lo. Um vídeo, gravado por um cliente, mostra Padilha deixando o local sob gritos. Um homem grita “vai chorar para o Lula [ex-presidente], vai beijar a mão do Lula” e é aplaudido por outras pessoas. Padilha fala com os manifestantes, mas não é possível ouvir o que ele diz.

O caso aconteceu no restaurante Aldeia, no Jardim Paulista, na zona oeste de São Paulo. Um dos sócios do local, Antonio Siqueira disse ter achado “uma falta de respeito” dos clientes. “Não gostei do modo como a turma o tratou. Foi uma falta de respeito, de educação, ele não tem culpa do que está acontecendo no país”, disse.

Siqueira disse que o local é frequentado por políticos, inclusive que Padilha já teria ido no restaurante outras vezes, e que nunca havia tido problemas como este antes. “Eu pedi desculpas a ele e o agradeci porque ele foi muito calmo, agiu muito bem diante dessa situação”. Segundo Siqueira, Padilha tentou explicar para os manifestantes que a atitude deles estava errada.

Em nota, Padilha disse que repudia qualquer manifestação de ódio e intolerância e que, no momento em que foi hostilizado, havia parado para almoçar ao lado do Complexo Regulador da Saúde Municipal, onde tinha uma reunião às 14h. 

"Posturas como estas apresentadas no vídeo, de pessoas que querem expulsar do convívio social quem pensa e age diferente delas, só me animam a continuar o trabalho a favor de quem mais precisa e a defender programas como o Mais Médicos, que beneficia mais de 70 milhões de brasileiros", disse em nota.

Restaurante de luxo. Não é a primeira vez que o ex-ministro é hostilizado em público. Em maio, quando almoçava no restaurante Varanda Grill ,nos Jardins, um dos clientes, o advogado Danilo Amaral, se levantou e bateu com uma faca em um copo de vidro e chamou atenção do salão inteiro para a presença de Padilha.

“Queria saudar, aqui, hoje, dizer a vocês que temos a presença do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, que nos brindou com o programa Mais Médicos, da presidente Dilma Rousseff, responsável pelo gasto de um bilhão de reais que nós, otários, pagamos até hoje.” Foi aplaudido. O petista até tentou rebater, mas foi ofuscado pelos aplausos.

Tudo o que sabemos sobre:
Alexandre PadilhaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.