Alemães fazem festa no Brooklin neste fim de semana

Cem mil pessoas são esperadas sábado e domingo na 12ª Maifest, que terá comidas típicas, shows e exibição de filmes

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2011 | 00h00

Vai ter chucrute, apfelstrudel e banda alemã. Mas também haverá mostras de uma Alemanha contemporânea, com filmes, documentários e shows de jazz. Entre amanhã e domingo, a região do Brooklin, na zona sul de São Paulo, recebe a 12.ª edição da Maifest, festa de celebração da chegada da primavera no hemisfério norte, que promete atrair ao bairro cerca de 100 mil visitantes nos dois dias do evento.

A festa será realizada no quadrilátero formado pelas Ruas Joaquim Nabuco, Princesa Isabel, Barão do Triunfo e Bernardino de Campos, das 10 horas de amanhã às 22 horas de domingo. Neste período, a área ficará fechada para trânsito. Todas as atrações culturais são gratuitas.

Entre os eventos que ressaltam o cenário atual da cultura alemã estão os shows da cantora de jazz Eva Jagun, de Colônia, e do contrabaixista Manuel Bacek, de Berlim, com o artista plástico brasileiro Marcelo Zanettini. O compositor Ivaldo Moreira, que realizou recentemente na Alemanha a turnê "Ensolarados Sons do Brasil", também se apresentará no bairro.

"Será um mergulho democrático na cultura alemã, com espaço para público variado, de todas as idades", disse o curador cultural do evento, Luiz Delfino Cardia. "A ideia desta edição é ir além das atrações entendidas como típicas. Vamos valorizar as tradições alemãs, mas também mostraremos a Alemanha atual, com a cultura presente em diversas nações do mundo." Uma das formas de retratar essa atualidade será pelo cinema: um telão vai ser montado na Rua Joaquim Nabuco para mostrar nove filmes e documentários ao ar livre.

Cultura. Os organizadores - a Associação dos Empreendedores e Moradores do Brooklin (AEMB) - também prepararam atrações inusitadas: no sábado, o samba paulista de Osvaldinho da Cuíca será misturado à música típica da orquestra alemã de Pomerode (SC), para promover a "união de duas culturas".

Na festa realizada em um bairro marcado pela presença de descendentes de alemães, gastronomia típica não faltará: 30 barracas e mais cinco restaurantes de comida alemã serão montados no quadrilátero. "Quanto a isso, ninguém vai reclamar. O visitante vai encontrar do eisbein (joelho de porco) até comidas brasileiras", contou Cardia.

Grupos folclóricos alemães se apresentam no evento, em palcos montados nas Ruas Bernardino de Campos e Joaquim Nabuco. Bandas de comunidades da Região Sul, como a The Schneiders, de Quinze de Novembro (RS), estão entre as atrações.

No espaço destinado às crianças, haverá festa de celebração da chamada Árvore de Maio (Der Maibaum) - erguidas tradicionalmente nesta época do ano na Bavária. Contação de histórias, teatro de bonecos e apresentação de corais ao pé da árvore de 4 metros de altura também estão entre as atrações para as crianças que forem ao local.

Nesta edição, pela primeira vez, haverá também espaço para literatura, com lançamento de campanha de doação de livros apoiada pela Associação Paulista de Letras (APL).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.