Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Além dos bares e restaurantes, Vila Madalena também é berço das artes

Galerias formam circuito das artes no bairro, com exposições de artistas novos e renomados

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2014 | 11h24

Conhecido por abrigar diversos restaurantes e bares, o bairro da Vila Madalena, zona oeste da capital paulista, é também morada de várias galerias de arte. Tais espaços começaram a se estabelecer na região na década de 1970, mas ainda hoje novas galerias abrem todos os anos. Algumas funcionam apenas como locais para lançamentos e exposições de artistas, enquanto outras têm lojas instaladas no mesmo ambiente, onde são vendidas peças de arte.


Inaugurada em 2001, a Galeria Fortes Vilaça apresenta programação com artistas brasileiros e estrangeiros, jovens e consagrados, que realizam exposições. Também são frequentes mostras coletivas organizadas por curadores convidados. Estas colaborações estendem-se também para publicações e palestras. A Galeria participa ainda de feiras de arte internacionais. Em 2008, estendeu sua atuação em São Paulo com o Galpão Fortes Vilaça, no centro. Rústico e industrial, com vão livre de 1.500 m², o local é simultaneamente um espaço para exposições, depósito de obras e sala de exibição.


A Galeria Raquel Arnaud foi criada em 1973, com o nome de Gabinete de Arte, mas é a mais nova na ‘Vila Madá’. Com espaços assinados por arquitetos como Lina Bo Bardi, Ruy Ohtake e Felippe Crescenti, o Gabinete passou por diferentes endereços como as avenidas Nove de Julho e Brigadeiro Luís Antônio, até chegar à rua Fidalga, na Vila Madalena, em 2012. A galeria representa artistas como Waltercio Caldas, Carlos Cruz-Díez, Arthur Luiz Piza, Maria Carmen Perlingeiro, Frida Baranek, Geórgia Kyriakakis, Carla Chaim e Carlos Nunes.


Já a Galeria Millan, fundada em 1986, sempre esteve no bairro. Nas exposições, trabalha as relações entre a produção dos artistas contemporâneos que representa e os artistas modernos que influenciaram sua formação. Dirigida por André Millan e Socorro de Andrade Lima, a Galeria acompanha de perto a trajetória de artistas de gerações e correntes artísticas variadas e oferece apoio ao seu processo de criação. O local conta ainda com intercâmbio com instituições culturais, museus e fundações, e organiza publicações junto a editoras de arte. Até sábado, 20, é possível visitar a exposição Vapor, com obras de Berna Reale.


Outro destaque no bairro é o Ateliê397, espaço de intervenção cultural no circuito das artes, criado em 2003. A proposta do local é promover ações inovadoras e incentivar a formação de outros olhares para a produção artística contemporânea. Com uma programação aberta para o público, o espaço conta com um galpão expositivo, divido em duas salas utilizadas para discussões e exposições, e o corredor, usado para projeções de videoarte.


Informações:

 

Galeria Raquel Arnaud - Rua Fidalga, 125, Vila Madalena

Tel.: (11) 3083-6322

Segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h

Galeria Millan - Rua Fradique Coutinho, 1360, Vila Madalena

Tel.: (11) 3031-6007

Terça a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 18h

Galeria Fortes Vilaça - Rua Fradique Coutinho, 1500, Vila Madalena

Tel.: (11) 3032-7066

Terça a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 18h

Ateliê 397 - Rua Wisard, 397, Vila Madalena

Tel.: (11) 3034-2132

Segunda a sexta, das 14h às 19h

Mais conteúdo sobre:
bairrossp Vila Madalena galerias arte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.