Alckmin revoga licitação e obra do túnel Santos-Guarujá deve começar só em 2015

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) revogou a licitação internacional para a construção do túnel Santos-Guarujá, cujo início das obras estava previsto para este mês. Segundo a empresa Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), responsável pela contratação, a medida teve de ser tomada depois que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) reprovou uma das cláusulas do edital, que exigia a participação de ao menos duas empresas brasileiras no consórcio vencedor. A instituição financiaria 40% do túnel, orçado em R$ 2,5 bilhões. Outros 40% seriam com empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e 20% do Tesouro do Estado. Agora, 80% dos recursos devem vir do banco brasileiro. Um novo edital deve ser lançado em agosto e as obras só devem começar em 2015, com entrega prevista em 45 meses. A ligação Santos-Guarujá é uma demanda antiga e foi prometida por Alckmin em 2010.

O Estado de S.Paulo

19 Julho 2014 | 02h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.