Alckmin inaugura bloqueador de celular em presídio de segurança máxima

Governador testou equipamento na P 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, e não conseguiu falar ao celular

Sandro Villar, Especial para o Estado

31 de janeiro de 2014 | 14h10

PRESIDENTE PRUDENTE - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou nesta sexta-feira, 31, o bloqueador de celulares da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no oeste paulista. O aparelho foi instalado na primeira quinzena de janeiro.

Depois de entrar no presídio acompanhado por prefeitos e auxiliares, o governador pegou o seu celular e tentou fazer uma ligação. Não conseguiu falar. Ele só ouviu sons e ruídos emitidos pelo bloqueador, atrapalhando e impedindo a ligação.

Após testar o equipamento, Alckmin disse que o bloqueador é eficiente e funciona, impedindo que presos recebam ligações ou falem ao celular em suas celas. "É tolerância zero", resumiu o governador.

O governo de São Paulo investiu R$ 31 milhões na instalação de bloqueadores de celulares em 23 presídios. Conhecida por abrigar líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital), como Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, A P 2 é a primeira penitenciária a ter bloqueador. O governador anunciou também a inauguração de mais 11 presídios em março e confirmou a desativação das cadeias públicas no Estado de São Paulo.

Com a desativação das cadeias públicas, a Polícia Civil deixa de cuidar de presos e terá mais tempo para investigar os crimes, segundo o governador, acrescentando que ainda há três mil presos nas cadeias e nenhuma mulher. As presas foram transferidas para presídios femininos.

Ônibus e UTI. Além de inaugurar o bloqueador de celulares, o governador Geraldo Alckmin também inaugurou a nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Santa Casa de Presidente Venceslau. Ele anunciou a liberação de R$ 1 mi para concluir as obras no centro cirúrgico. Alckmin também entregou 28 ônibus para 13 municípios do oeste paulista durante cerimônia em Santo Anastácio. Os ônibus são adaptados para deficientes.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.