Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Alckmin diz ter demitido mais de 500 PMs em 2014

Governador não detalhou razões, afirmou apenas que polícia é 'extremamente rigorosa'; nesta segunda, 'Estado' mostrou que 963 pessoas foram mortas por agentes de segurança no ano passado

JULIANA DIÓGENES, O Estado de S. Paulo

23 de março de 2015 | 20h39

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira, 23, que a polícia é “extremamente rigorosa” e que, no ano passado, a Corregedoria da Polícia Militar demitiu mais de 500 homens. Alckmin não detalhou as razões para as dispensas. “Há um esforço permanente por acompanhamento e legalidade por parte da polícia”, afirmou o governador durante evento no Palácio dos Bandeirantes. 

O Estado publicou nesta segunda que policiais civis e militares de folga mataram 255 pessoas no Estado de São Paulo em 2014 - uma a cada 34 horas. O dado, somado ao total de casos com policiais em serviço, aponta que 963 pessoas foram mortas por agentes de segurança no ano passado. Do total de homicídios, um em cada cinco foi registrado em decorrência da ação policial. 

Questionado sobre o aumento da letalidade da PM, Alckmin respondeu que gostaria de “destacar os avanços” de São Paulo. “Os homicídios já vêm caindo há mais de dez anos. Estamos com o menor indicador do País, talvez até da América Latina: 9,8 homicídios por 100 mil habitantes/ano. Latrocínio também em queda e, agora, queda de roubo e furto.” Os dados de fevereiro deste ano serão divulgados entre terça e quarta-feira, 24 e 25.

A Corregedoria e a Secretaria da Segurança foram procuradas, mas não comentaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.