Alckmin diz que taxa de homicídio caiu para o menor nível da série histórica em novembro

Em outubro, os homicídios haviam crescido no Estado e caído na capital paulista

Eduardo Laguna, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2016 | 19h51

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aproveitou uma cerimônia desta quinta-feira, 22, onde foram anunciadas aquisições de equipamentos ao sistema penitenciário, para antecipar que a taxa de homicídios no Estado caiu no mês passado ao menor patamar da série histórica, que teve início em 2001. Em outubro, os homicídios haviam crescido no Estado e caído na capital paulista.

Segundo Alckmin, na comparação anual, os homicídios em São Paulo caíram 13,3%, numa relação de 8,1 a cada 100 mil habitantes. Na capital, a queda foi de 14,8%, para 7,4 homicídios a cada 100 mil paulistanos, informou o governador.

"Claro que queremos melhorar muito mais, mas (São Paulo) é o campeão no Brasil em termos de redução de homicídios. São vidas salvas", diz o governador em entrevista no Palácio dos Bandeirantes, sede do Executivo paulista.

Pouco antes, em cerimônia com a presença do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, Alckmin lembrou que a meta era de, um dia, reduzir a taxa para dez homicídios a cada 100 mil habitantes.

Outubro. Os homicídios cresceram no mês de outubro no Estado, puxados por aumentos no interior e na Região Metropolitana de São Paulo. O índice subiu 12,17%, de 304 para 341 registros, na comparação do mês passado com outubro de 2015.

Na capital do Estado, no entanto, houve redução nesses registros. A queda foi de 11,59%, de 73 para 63 ocorrências, na comparação do mesmo período. Os roubos também subiram no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.