Alckmin diz que seria 'ótimo' evitar aumento da passagem de Metrô e CPTM

Governador afirmou que 'até agora' não tem decisão sobre o reajuste

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

27 Março 2014 | 12h18

SÃO PAULO - Tradicionalmente realizado em fevereiro, o reajuste das passagens do Metrô de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ainda segue uma incógnita neste ano. Questionado nesta quinta-feira, 27, sobre o assunto, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) se esquivou de responder se haverá aumento ou não no valor dos bilhetes em 2014 -- ano eleitoral e o primeiro depois dos protestos de junho de 2013, que derrubaram o reajuste anterior.

"Até agora, não tem nenhuma decisão de aumento. Se nós pudermos evitar o aumento, ótimo. Nesse momento está definido que não vai ter aumento. É preciso avaliar a questão financeira, que você vai avaliando permanentemente", afirmou o tucano em evento no Anhembi, na zona norte da capital paulista.

Nos bastidores, especula-se que o governo do Estado poderia se desgastar com um aumento isolado do preço da tarifa dos transportes públicos, pois o prefeito Fernando Haddad (PT) já anunciou que o preço das passagens de ônibus seguirá congelado em R$ 3 neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.