Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Alckmin diz que polícia já tem suspeitos de autoria de chacinas

Governador afirma que investigação aponta não haver relação entre ocorrências no Jaçanã e no Campo Limpo; ataques deixaram 9 mortos e 4 feridos

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

06 Abril 2017 | 13h46

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira, 5, que a Polícia Civil está investigando e já tem suspeitos identificados como autores das duas chacinas que deixaram nove mortos e quatro feridos entre a noite de terça-feira, 4, e a madrugada desta quarta-feira, 5, na capital paulista

Alckmin disse ainda que, pelo que se apurou até o momento, não há relação entre um caso, ocorrido no Jaçanã, na zona norte, e o outro, no Campo Limpo, na zona sul.

"A investigação está indo bem, estão trabalhando em uma linha importante. Parece que não há relação entre uma chacina e outra. Vamos aguardar, até para não atrapalhar", disse o governador em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, após participar da cerimônia de inauguração de reformas do Castelinho da Rua Apa, em Santa Cecília, na região central. 

Perguntado se a polícia identificou suspeitos da autoria dos crimes, Alckmin afirmou que "já tem". 

Ataques. Dois homens em uma motocicleta prata atiraram por volta de 23h30 da terça-feira na direção de um grupo que festejava em um bar da Rua Antônio Sérgio de Matos, no Jaçanã. Cinco homens morreram dentro do estabelecimento e outro na rua. Três ficaram feridos e foram levados aos Hospitais São Luiz Gonzaga, do Mandaqui, na zona norte, e Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo.

As seis vítimas que morreram no bar são: Sidnei Rodrigues Cordeiro, de 38 anos; Valdir Pereira de Souza, de 46; Adriano dos Anjos Silva, de 39; Wellington Claudino de Souza, de 35; Gilmar Vieira da Silva, de 39; e Fernando, cujos sobrenome e idade não foram informados. Apenas um deles tinha passagem pela polícia - por tráfico.

Zona sul. Já no Campo Limpo, próximo da meia-noite, dois homens foram mortos e um ficou ferido na Rua Professora Nina Stocco, na região do Jardim Catanduva. Entre eles, estava o entregador de pizzas Johnny Felipe Nascimento, de 24 anos, que teria parado para pedir informações, quando duas pessoas em uma moto atiraram, atingindo-o na mão.

Além dele, também foram baleados Kayke Santos Moreira, de 20 anos, e Vinicius Aparecido Paula Guedes, de 19, que foram levados ao Hospital Campo Limpo, mas não resistiram aos ferimentos.

Por volta do mesmo horário, Wizmael Correia, de 19 anos, foi morto na Rua Carualina, nos fundos da Escola Estadual Hélio Motta, no Jardim Olinda, também distrito do Campo Limpo.

Uma testemunha disse à polícia que dirigia a moto em que estava a vítima e que percebeu estar sendo perseguido por outras duas pessoas também em uma moto. Ela tentou fugir, mas Correia se assustou e desceu. Em seguida, o garupa da outra moto sacou uma arma e atirou.

Nenhuma das vítimas das duas ocorrências no Campo Limpo tinha passagem pela polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.