Alckmin defende o pedágio e diz que vale avaliar, caso a caso

Segundo candidato ao governo de SP, modelo de concessão trouxe investimentos aos estado

Luiz Henrique de Andrade, especial para o Estado de S. Paulo,

09 de julho de 2010 | 20h49

IBITINGA - O candidato do PSDB ao governo paulista, Geraldo Alckmin, disse nesta sexta-feira, 9, ao ser perguntado sobre o uso de pedágio nas rodovias, que o modelo de concessão trouxe grandes investimentos para o estado, e que isso possibilitou o governo a investir mais na educação, na saúde, no saneamento, e na manutenção das rodovias, obras novas, "e aí o governo pode recuperar 12 mil km de vicinais que são os chamados caminho da produção, agora caso especifico que precisa ser avaliado; nós vamos avaliar, caso a caso".

 

Em relação a segurança, Alckmin disse que é preciso reforçar o policiamento. "Nós pretendemos ter 6 mil policiais militares a mais e vamos aumentar bem o número de delegados , e da tecnologia no setor de segurança. São Paulo reduziu 64% do crime de homicídio e dá para reduzir mais, esse é um esforço permanente continuo", salientou o candidato do PSB.

 

"No judiciário é questão de parceria, poder judiciário é um outro poder. São independentes, mas devem ser harmônicos. Eu sou defensor da conciliação, de você ter o julgamento das pequenas causas de forma mais rápida, e tornar a justiça mais rígida", disse.

 

Sobre o setor de saúde, Alckmin salientou que as prefeituras têm investido bastante, "o mínimo que precisa investir é 15%, algumas chegam a quase 30% na parte da emergência. O governo do estado deu um grande avanço com os AMES e nós vamos ampliar. Vamos ampliar os remédios da cesta básica também. E o governo vai investir nas clinicas de saúde mental também."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.