Chello Fotógrafo/Divulgação
Chello Fotógrafo/Divulgação

Alckmin considera 'errada' relação entre sigilo e queda de crimes

Governador afirmou que essa ligação 'não existe' e é 'uma desinformação'; dados de boletins de ocorrência foram restringidos

Guilherme Mazieiro, Especial para o Estado

24 Fevereiro 2016 | 15h00

JUNDIAÍ - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), considerou que é "totalmente errada" a relação entre a queda nos índices de violência no Estado com a decisão de restringir acesso a alguns dados dos boletins de ocorrência.

"A sua premissa é totalmente errada, totalmente errada. Você presta uma desinformação aos leitores. Não existe isso. Não há nenhum Estado mais transparente do que São Paulo", declarou nesta quarta-feira, 24, após ser questionado pela reportagem do Estado durante evento na Delegacia Seccional de Jundiaí, no interior de São Paulo.

Enquanto o secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, buscava a relação de homicídios e as ocorrências, Alckmin destacou a transparência de São Paulo. "O nosso indicador é igualzinho, ele não muda. É publicado mês a mês", disse.

O governador ainda afirmou que são divulgados o número de homicídios e o número de vítimas de homicídio. "Que é como o mundo faz", afirmou. Ele se referia às 3.962 vítimas de homicídio e 3.757 ocorrências registradas em todo Estado no ano passado.

No começo do ano, a gestão tucana restringiu parte do acesso a pedidos feitos via Lei de Acesso à Informação a dados de boletins de ocorrência. O governo informou que a medida preserva "dados pessoais" de vítimas e testemunhas.

Queda nas mortes. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou nesta quarta-feira que na região de Campinas houve queda de 20% nos homicídios dolosos em janeiro de 2016, em relação ao mesmo período do ano passado. O índice é o menor da série histórica que, em 2001, contabilizou 71 vítimas.

Com exceção do roubos em geral, que cresceram de 1.324 para 1.351 (2,04%), no comparativo de janeiro de 2015 e 2016, teve-se a redução em todos os índices da SSP.

Já na capital, o índice de homicídios caiu 41,20% em janeiro de 2016 com relação ao mesmo mês do ano passado - passou de 97 para 58, conforme anunciou nesta terça-feira, 23, o secretário Alexandre de Moraes.

A relação completa dos dados do Estado deve ser divulgada nesta quinta-feira, 25, de acordo com a SSP.

Sigilo. Alckmin recuou, na semana passada, e revogou a alguns pontos da regra, mas manteve o sigilo aos dados que contenham informações pessoais dos cidadãos.

Em entrevista ao Estado, o vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, disse que São Paulo "perde a chance" de comemorar uma queda acentuada "uma vez que esses dados não podem passar por auditoria externa". Ele ainda questionou o anúncio paulista, ao divulgar homicídios sem falar de mortes em geral.

Novas viaturas. Nesta quarta-feira, em Jundiaí, o governador entregou 98 viaturas para as Polícias Civil (53) e Militar (45) e salas reformadas na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). O investimento foi de cerca de R$ 5 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.