Alckmin anuncia via Twitter ampliação de horário da Linha 4

Estações Luz e República vão abrir em período integral, das 4h40 à meia-noite, a partir de amanhã

O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2011 | 03h04

Onze dias depois de serem inauguradas, as Estações Luz e República da Linha 4-Amarela do Metrô vão funcionar em horário integral. A partir de amanhã, as duas paradas vão abrir às 4h40 e fechar à meia-noite; elas só vão ficar fechadas aos domingos. O funcionamento nesse novo horário havia sido prometido para entrar em vigor a partir do dia 30.

A antecipação veio por Twitter. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) postou a mensagem no seu perfil (@geraldoalckmin_) na noite de sexta-feira. "Antecipamos para segunda-feira (26/09) a ampliação do horário das Estações República e Luz da Linha-4 Amarela: das 4h40 às 0h de 2.ª a sábado", escreveu. Na manhã de ontem, em evento público no Parque Ecológico do Tietê, na zona leste, Alckmin confirmou o anúncio.

Desde o dia 15, quando abriram, as estações funcionavam das 10h às 15h, de segunda-feira a sábado. Na última sexta-feira, o horário foi ampliado em duas horas (das 9h às 16h). Na quinta-feira, o secretário Estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que havia a possibilidade de antecipar o início da operação em horário integral, mas, em troca, o funcionamento aos domingos seria adiado, por causa da necessidade de mais testes.

As primeiras estações (Pinheiros e Faria Lima) ficaram um ano e quatro meses com horário reduzido - de maio de 2010 até o dia 12 deste mês.

Pelas Estações Luz e República é possível fazer a transferência entre a Linha 4-Amarela e a 1-Azul e 3-Vermelha, respectivamente. Com as paradas em pleno funcionamento, a promessa do Metrô é de que o fluxo de pessoas será redistribuído no sistema. Com isso, a média diária de movimento da superlotada Estação Sé vai diminuir em 160 mil passageiros; na Paraíso, a redução será de 59,6 mil pessoas.

Enquanto isso, a média diária de passageiros na República vai subir 58,7%, de 63 mil para 100 mil usuários. Na Luz, o aumento previsto é de 4,7%, de 126 mil para 132 mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.