Alckmin adia entrega da nova Tamoios para janeiro

Governo suspende obras a partir do dia 20, mas garante faixas duplicadas usando trecho da pista antiga para evitar transtornos no final do ano

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

11 Dezembro 2013 | 17h18

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) adiou para janeiro a entrega definitiva da duplicação dos 49 km do trecho de Planalto da Rodovia dos Tamoios, principal ligação entre o interior e litoral norte de São Paulo. O secretário estadual de Logística e Transportes, Saulo de Castro Abreu filho, disse que as obras serão paralisadas a partir do dia 20 de dezembro, conforme revelou o Estado, para permitir que os veículos trafeguem entre São José dos Campos e Caraguatatuba em pista duplicada.

Isso só será possível porque o governo postergou a demolição de um barranco entre os km 26 e 28 para a conclusão das novas faixas. Se a demolição fosse feita, a via ficaria parcialmente interditada e prejudicaria o trânsito no final do ano, quando o fluxo de veículos na rodovia salta de 14 mil para 30 mil veículos por dia. Assim, os veículos que subirem no sentido interior utilizarão duas faixas da pista antiga, enquanto os que descerem no sentido litoral utilizarão duas faixas da nova pista construída.

"Os veículos vão andar o tempo todo por uma estrada 'inteirinha' duplicada, sem sentir a diferença. Só que não é a Tamoios nova. A Tamoios nova será preservada até os dias 6 e 7 de janeiro, quando o fluxo de veículos deve reduzir", disse o secretário.

A promessa de Alckmin era entregar a obra totalmente concluída na próxima segunda-feira, 16 de dezembro. Agora, o novo cronograma prevê que o traçado definitivo da Tamoios seja inaugurado apenas a partir do dia 15 de janeiro.

Mais conteúdo sobre:
TamoiosrodoviaGeraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.