Paulo Giandalia/AE
Paulo Giandalia/AE

Albert, o príncipe de Mônaco, faz tour por SP

Em sua 3ª vez na cidade para abrir mostra sobre a mãe, ele cumpriu agenda eclética

Valéria França, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2011 | 00h00

Em sua terceira visita a São Paulo, Albert II, governante do Principado de Mônaco, adotou um tom informal. Ao contrário de sua passagem anterior, em 1998, quando esteve por aqui com pai, Rainier III, e mais 60 pessoas, anteontem ele desceu do avião acompanhado só do ajudante de ordem, coronel Philiponart.

O monarca do segundo menor Estado do mundo - perde só para o Vaticano - veio à cidade para abrir ontem a mostra que reúne pertences de sua mãe, Grace Kelly. Ele e as irmãs, Caroline e Stephanie, ajudaram a selecionar os objetos da exposição Os Anos Grace Kelly, Princesa de Mônaco, no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap).

Sempre escoltado pela PF, o príncipe aproveitou a viagem para rever amigos e se divertir. Pouco ficou na suíte presidencial do Tivoli São Paulo Mofarrej, que ocupa o 22.º andar inteiro do prédio (750m² e com diária de R$ 26 mil), nos Jardins, e foi decorada com rosas colombianas de cor pastel - suas preferidas.

O primeiro compromisso foi um almoço com um amigo brasileiro com quem estudou em Harvard. Depois, eles seguiram para o Centro de Treinamento do São Paulo Futebol Clube, na Barra Funda. Ávido esportista e patrono de dois times de futebol em Mônaco, o príncipe queria conhecer um time local, e como o amigo torce para o São Paulo...

No CT, conversou em francês com alguns jogadores, como Luis Fabiano, Lucas e Fernandão. "Aqui é tão arborizado que nem parece que estamos na cidade de São Paulo", disse, elogiando as instalações. Simpático e nada formal, abraçou o goleiro Rogério Ceni, que o presenteou com camisa do clube.

Dieta. Como em todo lugar por onde passou, também no CT ele se deparou com mesa de comida. "O príncipe está de regime, porque sua cintura está um pouco maior que a usual", contou Bernard Barrandon, chanceler do Consulado de Mônaco em São Paulo, responsável por organizar a estadia real no Brasil. No CT, Albert só tomou água de coco. Depois, exercitou-se na Sociedade Harmonia de Tênis, nos Jardins.

O príncipe bem que tentou seguir uma dieta. No café da manhã, pediu sanduíches de frios leves - nada de presunto - e frutas tropicais. Não queria omelete nem salsicha. Mesmo assim, o hotel, na tentativa de agradar, incluiu as "extravagâncias" no cardápio.

Ontem, em visita oficial ao Palácio dos Bandeirantes, foi recebido pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Foram servidos pão de queijo e café e a conversa entre os dois foi sobre sustentabilidade. O monarca está levantando recursos para a Fundação Albert II, voltada ao meio ambiente.

Depois de meia hora, o príncipe seguiu para um almoço, com carne seca e outros pratos brasileiros preparados pelo banqueteiro Toninho Mariutti. À noite, ainda participou de um jantar na casa de Celita Procópio de Carvalho, presidente do Conselho Curador da Faap. E hoje, antes de embarcar para os Estados Unidos, terá mais um jantar, para 120 convidados, na mansão do banqueiro Joseph Safra. Dieta, só em Mônaco.

Serviço

OS ANOS DE GRACE KELLY, PRINCESA DE MÔNACO: FAAP: RUA ALAGOAS, 903 HIGIENÓPOLIS, TEL.: (11) 3662-7200, ATÉ 10 DE JULHO. GRÁTIS.

CRONOLOGIA

Outras visitas reais à capital

Abril de 1991

Charles e Diana

O príncipe e a então princesa de Gales passaram cinco dias no País. Em São Paulo, Diana visitou crianças da unidade de órfãos da Febem contaminados pelo HIV. Charles ainda retornou ao Brasil em 2002 e 2009.

Fevereiro de 2005

Felipe de Bourbon

O herdeiro do trono espanhol cumpriu agenda diplomática no País. Na capital paulista, o príncipe das Astúrias inaugurou o Fórum Instituto de Comércio Exterior da Espanha.

Junho de 2008

Príncipe Naruhito

O príncipe herdeiro do Japão veio ao Brasil por ocasião das comemorações do centenário da imigração japonesa. Na capital paulista, visitou o Pavilhão Japonês do Parque do Ibirapuera e assistiu a concerto da Osesp na Sala São Paulo.

Julho de 2010

Muna Al-Hussein

A princesa jordaniana veio participar da abertura de uma conferência da Organização Mundial da Saúde. Visitou o Hospital Sírio-Libanês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.