Alagoas: sobe a 32 nº de moradores de rua mortos

Subiu para 32 o número de moradores de rua mortos neste ano em Alagoas. Na madrugada de ontem, a vítima foi Monique Camila dos Santos, de 21 anos. Ela foi executada a tiros na periferia de Maceió. Segundo a polícia, a jovem foi assassinada com vários tiros em Vergel do Lago, um dos lugares mais pobres da capital alagoana. Sua mãe, Maria Nazaré da Silva, disse que a filha estava na rua desde o início do ano, atraída pelas drogas.

Ricardo Rodrigues / MACEIÓ, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2010 | 00h00

Sem-teto contaram que ouviram disparos por volta das 4 horas. Quando saíram para ver o que tinha acontecido, perceberam que homens arrastavam o corpo de Monique. Ele foi abandonado próximo a um bueiro. A morte pode estar associada a dívida com traficantes.

O assassinato também será investigado por delegados da Força Nacional de Segurança Pública, em Alagoas desde o dia 5.

Na semana passada, o secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, prometeu enviar mais dez policiais para se juntar ao grupo de 45 policiais civis que já está em Alagoas ajudando a Polícia Civil a tentar elucidar centenas de homicídios registrados no Estado.

Além do assassinato de Monique, a Polícia Civil registrou na manhã de ontem o espancamento do morador de rua José Carlos Pereira, de 42, que sobrevive catando e vendendo latinhas. Ele apanhou de um grupo de jovens de classe média, visivelmente embriagados, na Avenida Siqueira Campos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.