Airbus diz que empresa usou avião antes da TAM

Companhia francesa envia técnicos para investigar acidente em São Paulo

Jamil Chade, do Estadão,

18 de julho de 2007 | 16h56

A Airbus promete investigar com seus próprios técnicos o que teria ocorrido com o avião da TAM que sofreu um acidente na terça-feira em São Paulo. A empresa com sede na França, porém, deixou claro que "a responsabilidade pelas investigações é do governo brasileiro". "Estamos enviando uma equipe de técnicos para avaliar o caso e dar assistência técnicas as autoridades brasileiras", garantiu uma porta-voz da Airbus. Cinco técnicos da empresa já estão a caminho de São Paulo, além de especialistas do Escritório de Investigações e Analise para a Segurança de Aviação Civil, órgão do governo francês. A empresa, porém, não quis informar se a aeronave já havia sofrido algum tipo de acidente antes. Mas revelou que o avião não havia sido vendido da Airbus diretamente para a TAM. Segundo a companhia, a primeira empresa aérea a usar o aparelho foi a TACA (Transportes Aéreos Centro-Americanos). A Airbus prefere não especular por enquanto sobre os motivos do acidente, alertando que seria "inapropriado". O avião havia sido entregue em fevereiro de 1998 e, desde então, realizou cerca de 20 mil horas de vôo e 9,3 mil vôos. O avião, o A320, é o mais vendido pela companhia, com mais de 1,7 mil em operações no mundo. O primeiro foi entregue em 1988. Na terça-feira, a Agência Européia de Segurança da Aviação Civil manteve contatos com as autoridades brasileiras. "O objetivo foi o de obter algumas informações e deixar claro que a Europa se oferece a ajudar nas investigações para determinar as causas do acidente, caso for pedido pelo Brasil", afirmou ao Estado, Micheli Cercone, porta-voz do departamento de transporte da Comissão Européia, em Bruxelas. O presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, também enviou ontem condolências ao presidente Luis Inácio Lula da Silva. "Estou profundamente consternado pelo terrível acidente que causou a perda de tantas vidas em São Paulo. Em meu nome e em nome da Comissão Européia, apresento a vossa excelência e ao povo brasileiro os meus mais sentidos pêsames. Muito lhe agradeceria que transmitisse às famílias das vítimas a minha solidariedade e simpatia", afirmou a mensagem. A declaração foi lida, em português, para os mais de cem jornalistas estrangeiros que cobrem diariamente os assuntos da UE.

Tudo o que sabemos sobre:
VÔO 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.