Águia aposta em grande desfile, mas tem problema em carros

Duas alegorias bateram antes de entrar na avenida e uma foi inutilizada; escola homenageou Ribeirão Preto

Gabriel Pinheiro, estadao.com.br

13 Fevereiro 2010 | 23h46

 

SÃO PAULO - Primeira escola a desfilar na segunda noite do grupo especial do carnaval de São Paulo, a Águia de Ouro correu contra o tempo para fazer os últimos ajustes nos carros, alegorias e fantasias. Já na concentração, o presidente Sidnei Carrioulo dizia que a agremiação enfrentava dificuldades pelo tamanho dos carros alegóricos. Durante o desfile, não deu outra: dois carros bateram antes de entrar na avenida e um deles foi inutilizado. 

 

Veja também:

mais imagens Veja galeria de fotos da Águia 

blog Acompanhe o carnaval pelo País no blog

especialCobertura completa da folia na página especial

 

"É preciso que haja uma adaptação no espaço ou do tamanho dos carros. A gente entende que carnaval é uma vez por ano, mas é preciso reavaliar o espaço destinado às escolas para não atrapalhar a festa", disse o presidente da escola, Sidnei Carrioulo.

 

Apesar do contratempo, a agremiação fez um desfile luxuoso, com carros e fantasias elaboradas, e terminou dentro do tempo. Com 3,8 mil integrantes espalhados em 28 alas, a escola homenageou a cidade paulista de Ribeirão Preto. A Água tentou impressionar logo na entrada. O carro abre-alas era uma grande águia, símbolo da escola, com as asas estendidas sobre os cafezais.

 

Dezesseis mulheres estavam no carro representando a deusa africana Oxum que, segundo a letra do samba, teria se banhado nos ribeirões do norte paulista e espalhado sua fertilidade pelas terras da região. Na avenida, a bateria veio com 250 componentes atrás de sua rainha, a funkeira Valeska Popozuda. Na ala das baianas, eram 120 integrantes.

 

 

O presidente da escola explicou que Ribeirão Preto foi escolhida porque tem muitos títulos, é considerada a Califórnia brasileira e tem uma história de prosperidade. A história da cidade foi contada por alegorias que relembram desde o trabalho de escravos e imigrantes nas lavouras de café, o mineiro Santos Dumont - criado dos 6 aos 18 anos na cidade paulista -, o típico chope gelado de Ribeirão até a explosão do agronegócio na região.

 

A escola azul e branca luta pelo segundo título no grupo especial do carnaval de São Paulo. O primeiro foi conquistado em 1998. No ano passado, a Águia de Ouro foi campeã do desfile do grupo de acesso e retornou ao grupo especial.

 

Filhos famosos de Ribeirão Preto foram convidados para o desfile da agremiação, como o músico Kiko Zambianchi, o ator e cantor Moacyr Franco, a ginasta Laís Souza e o piloto Hélio Castro Neves. O deputado federal e ex-prefeito de Ribeirão Preto, Antonio Palocci (PT), também foi convidado, mas, de acordo com Carrioulo, o político teria recusado o convite para evitar constrangimentos, uma vez 2010 é ano eleitoral e poderia sugerir que usaria o desfile para se promover.

 

(Com Lucinda Pinto e Circe Bonatelli, da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
Carnaval 2010Água de Ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.