Água volta a correr pela cachoeira de Salto

Aumento da vazão se deve à chegada das águas que escoaram de São Paulo; correnteza carregou também muita sujeira

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

07 de novembro de 2014 | 18h53

SOROCABA - Depois de 120 dias com as pedras à mostra em razão da estiagem, as águas do Rio Tietê voltaram a correr na cachoeira de Salto, região de Sorocaba, nesta sexta-feira, 7. A vazão no local, que havia chegando a 20 metros cúbicos por segundo, chegou a atingir 200 m3/s.

Parte do aumento se deve à chegada das águas que escoaram de São Paulo após as chuvas que atingiram a capital no início da semana. A correnteza carregou também muita sujeira - o lixo voltou a ficar acumulado na barragem da Represa de Góes, próximo da cachoeira.

Moradores foram à margem do rio para apreciar a nova paisagem. Muitos se impressionaram com a cor barrenta das águas e com a quantidade de lixo, principalmente garrafas PET e sacos plásticos. Há dois meses, uma operação de limpeza recolheu mais de 18 toneladas de lixo. A coleta do material foi possível porque, com a seca, as águas tinham desaparecido. 

Apesar da volta da chuva, a cidade continua com racionamento de água. De acordo com a prefeitura, o nível dos mananciais usados para abastecimento não se recuperou. A maioria dos bairros recebe água em dias alternados.

Tudo o que sabemos sobre:
SaltoSão Paulocrise hídrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.