Estadão<br>
Estadão

Água do Jaguari é reprovada e Limeira antecipa captação em lago

Teste apontou cor e cheiro impróprios e Ribeirão do Pinhal já passou a ser usado como fonte alternativa de captação

Rene Moreira, Especial para O Estado

21 de outubro de 2014 | 00h02

FRANCA - A queda da qualidade da água bruta do Jaguari que, segundo a Odebrecht Ambiental, "mesmo após tratamento estava apresentando cor e cheiro perceptíveis à população", levou a concessionária a suspender a captação do rio na tarde desta segunda-feira, 20, para o abastecimento de Limeira (SP).

Desde então passou a ser captada a água no lago do Ribeirão Pinhal, o que estava previsto para ocorrer somente a partir de quarta-feira, 22. A Odebrecht informou que com o uso da reserva do lago, "o problema estará equacionado, pois a bacia do Pinhal é de excelente qualidade".

O problema todo está relacionado à maior estiagem dos últimos 73 anos na região. Os mananciais estão com níveis muito baixos o que aumenta a concentração de poluição. O processo de tratamento feito com adição de produtos químicos -como cloro, coagulante e cal, serve para retirar a carga orgânica da água, tornando-a potável para o consumo humano.

O problema, segundo explicou Tadeu Ramos, diretor da Odebrecht, é que quando a concentração de poluição é maior, é necessário aumentar a adição de produtos químicos para que a água atenda aos parâmetros de potabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

"Mas ela pode apresentar características diferentes das habituais, como cor e cheiro", acrescenta. O parâmetro cor, por exemplo, tem como valores permitidos de zero a 15 Unidade de Cor (UC). Antes da crise hídrica, a água tratada em Limeira apresentava zero de cor e atualmente estava na média de 12, chegando ao limite de 15.

Odor. "Acostumada com uma água mais leve, a população de Limera acaba percebendo um cheiro, gosto ou cor diferente", completa Ramos. Já a água captada no lago tem aspectos normais e pode ser consumida sem nenhum risco, como apontaram os testes, segundo a concessionária do serviço na cidade.

A Odebrecht divulgou um comunicado orientando à população que, com o início da captação do lago, será fundamental diminuir o consumo, para que essa reserva dure mais tempo. Em caso de dúvida sobre a qualidade de água, a população pode solicitar a visita gratuita do Laboratório Móvel, pelo 0800 771 0001.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.