Água contaminada pode ter mandado mais de cem a hospital de SP

Suspeita é investigada em Brodowski, onde 60% da população está com as torneiras secas após uma bomba de captação ter quebrado

Rene Moreira, Especial para O Estado

15 Agosto 2014 | 16h22

Mais de cem pessoas, a maioria crianças, foram atendidas nos últimos dias com sintomas de virose em Brodowski, no interior de São Paulo, e a principal suspeita é que a contaminação tenha ocorrido através da água. Mais de metade da cidade tem sido abastecida por caminhões-pipa desde que as bombas de captação quebraram há um mês.

Os pacientes atendidos apresentavam sinais de diarreia, febre e vômito e moradores temem que a contaminação tenha acontecido através da água entregue pelos caminhões ou da que é fornecida nas escolas. Amostras foram recolhidas e encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, mas os resultados devem ficar prontos em 15 dias.

A administração municipal garante que a água distribuída nos bairros é monitorada e atribui o problema ao clima seco ou à sujeira presente nas caixas de água das residências. Porém, para ter certeza do que ocorreu, foram enviadas para análise amostras da água que sai do poço, da que é entregue pelos caminhões e ainda das caixas de algumas casas. Segundo o secretário de Saúde, Davi Frutani de Oliveira, somente os exames poderão apontar o que houve.

Defeito. O fornecimento de água foi suspenso para 60% da população de Brodowski no dia 15 de julho após quebrar uma bomba de captação. Ela foi substituída duas semanas depois, mas voltou a estragar e os moradores continuam enfrentando problemas no fornecimento. Ainda não há uma data precisa sobre quando a situação voltará ao normal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.