Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Água começa a baixar em Franco da Rocha; trem continua parado

Sabesp reduziu vazão de represa que foi determinante no alagamento da cidade; Estado envia remédios

Priscila Trindade, Central de Notícias

13 Janeiro 2011 | 11h10

SÃO PAULO - A Defesa Civil de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, informou que o nível da água que inundou o município está baixando nesta quinta-feira, 13, de forma gradativa. Apesar da melhora, o tempo continua chuvoso na cidade e ainda não há previsão de quanto dias serão necessários para o escoamento da água. A linha de trem que atende a cidade segue com circulação interrompida.

 

Veja também:

linkDe 41 piscinões previstos, só um foi construído

 

O município ficou completamente ilhada após a abertura de comportas da represa Paiva Castro, que, em razão da chuva, atingiu o nível máximo na terça-feira. O centro de Franco da Rocha permanece isolado. Escolas, casas, comércios, o fórum, o prédio da prefeitura e a delegacia ainda estão cercados por água. Ninguém ficou ferido.

 

Em nota, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) afirmou que reduziu as 9 horas desta manhã a vazão da represa Paiva Castro para 10 m3/s. Anteriormente, a vazão havia chegado a 80 metros cúbicos e a abertura da comporta foi determinante para os alagamentos na cidade. A represa está retendo 52 m3/s para controlar as cheias. A represa Jaguari/Jacareí, que pertence ao mesmo sistema Cantareira, continua com vazão de 40 m3/s e está retendo 111 m3/s. Os rios Juqueri e Jaguari continuam sendo monitorados pela empresa.

 

O acesso a cidade permanece prejudicado, mas as 10h30 o motorista não enfrentava lentidão na Rodovia Fernão Dias. Uma erosão no acostamento interdita desde ontem a faixa 2 da via entre o km 52,8 e km 52,2, entre Mairiporã e Atibaia. O tráfego flui pela faixa 1.

 

Como o nível d'água não baixou o suficiente na linha férrea, a circulação de trens na linha 7 - Rubi (Luz - Francisco Morato) da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) continua inoperante no trecho entre as estações de Franco da Rocha e Caieiras.

 

Para auxiliar no transporte dos usuários, a CPTM acionou o Plano de Auxílio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), com transporte gratuito por ônibus, para completar a viagem de quem necessita passar pelo trecho inoperante. Com o Paese, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) põe em circulação 60 veículos adicionais.

 

Remédios. A Secretaria de Estado da Saúde vai encaminhar, a partir de hoje, uma remessa extra de aproximadamente 1,5 tonelada de medicamentos para o município de Franco da Rocha. No total serão enviados cerca de 700 mil unidades farmacêuticas de remédios do programa Dose Certa, entre antitérmicos, analgésicos, anti-inflamatórios, xaropes e pomadas e sais para hidratação. O lote adicional é suficiente para abastecer a cidade pelos próximos três meses. Também serão encaminhados ao município 6 mil frascos de água sanitária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.