Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Agricultor morre após ser picado por escorpião em Nova Granada

Vítima foi atacada pelo animal peçonhento quando cortava lenha

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 Junho 2018 | 16h55

SOROCABA - Um agricultor de 62 anos morreu na tarde deste sábado, 9, três dias após ser picado por um escorpião em seu sítio, no município de Nova Granada, interior de São Paulo. A vítima, Antônio Aparecido Sanches Pasquale, foi atacada pelo animal peçonhento quando cortava lenha. Ele foi levado para uma unidade de atendimento da cidade e acabou transferido para o Hospital de Base de São José do Rio Preto. Pasquale ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Cardiológica, onde acabou morrendo. 

Conforme o hospital, ele já deu entrada com o quadro de saúde muito grave. A causa da morte foi choque cardiogênico, causado pela ação do veneno do escorpião. O corpo de Pasquale foi sepultado neste domingo, 10, no cemitério municipal de Nova Granada. Em novembro do ano passado, a cidade já havia registrado o óbito de uma jovem de 18 anos por ataque de escorpião. A prefeitura informou que mantêm equipes para manter limpas praças e vias públicas, mas os escorpiões têm saído da rede de esgoto.  

+++ Menino de 8 anos morre após ser picado por escorpião em Ribeirão Preto

Aumento- O número de mortes por ataques de escorpiões aumentou de forma significativa, no Estado de São Paulo, nos últimos anos. De 2001 a 2010, tinham sido registradas 20 mortes, média de duas por ano. De 2011 a 2017, foram registradas 54, média de 7,7, conforme dados do Ministério da Saúde. O crescimento maior é recente. Em 2014, foram 3 óbitos, em 2015 outros 5 e, em 2016, aconteceram 10 mortes.      

O grande salto, no entanto, foi em 2017, quando 26 pessoas morreram pelo ataque desses animais peçonhentos. Os dados deste ano ainda não estão disponíveis, mas, além da morte do agricultor de Nova Granada, foram registrados óbitos de três crianças, respectivamente, em Araçatuba, Barra Bonita e Araçatuba, no interior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.