'Agora decisão do Metrô em Higienópolis foi técnica'

Pedro Ivanow, presidente da Associação Defenda Higienópolis, afirma que estação no bairro está melhor localizada e que não há mais nada a ser questionado

Renato Machado e Vitor Hugo Brandalise,

17 de junho de 2011 | 23h00

O empresário Pedro Ivanow virou símbolo da luta contra a estação de metrô na Avenida Angélica, centro de São Paulo. Ele preside a Associação Defenda Higienópolis, que promoveu, no ano passado, um abaixo-assinado contra a parada. O texto citava que a distância entre as estações seria pequena e que haveria problemas de segurança no bairro. Ivanow se reuniu com o governo e saiu do encontro com a promessa de que o local já havia sido alterado. No entanto, começaram aí os problemas, com acusações de que Higienópolis era elitista e movimentos ironizando os moradores do bairro, como o "churrasco da gente diferenciada."

 

O que achou da nova localização da estação em Higienópolis?

No ano passado, nosso questionamento era a distância entre as estações, que estavam próximas. E também queríamos entender por que a Praça Vilaboim, o Pacaembu e a Faap não eram atendidos. Agora a decisão foi técnica e a estação vai atender todas as regiões. Então não há mais o que questionar.

 

A estação no meio do bairro não será pior?

Qualquer que fosse a solução, haveria urbanista contra e a favor. Eu não sou técnico, então não saberia dizer se vai aumentar o fluxo de pessoas ou se a estação vai simplesmente atender uma demanda que já existe. Afinal, a população já faz o trajeto até o bairro de alguma forma.

 

Espera que a confusão acabe com a definição da estação?

Penso e espero que sim. Tudo começou com uma declaração de uma pessoa para uma reportagem que não reflete a opinião da associação ou mesmo dos moradores do bairro. E depois disso vieram esses ataques.

 

A associação vai continuar monitorando o projeto do Metrô e tomar medidas, caso a estação traga problemas, como atrair vendedores ambulantes?

Primeiro as coisas precisam acontecer para depois nós tomarmos alguma decisão, então não posso te adiantar como vai ser. Mas se acontecerem alguns problemas, como falta de segurança, nós vamos acionar as autoridades.

 

Acredita que outras associações deixem de defender seus interesses por conta da repercussão do episódio de Higienópolis?

Depende de como o episódio será visto. Espero que todos entendam que é um exercício válido defender os interesses de sua comunidade, procurando soluções.

Tudo o que sabemos sobre:
metrôHigienópolisexpansãoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.