Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Agora, até posto e padaria têm sushi

Comida japonesa espalha-se pelos lugares mais inusitados; consumidores aprovam

Valéria França, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2011 | 00h00

Um cliente pede uma pizza. Outro prefere açaí na tigela. Mas o campeão de pedidos na padaria St. Etienne, nos Jardins, zona sul, é o temaki, variedade do sushi em forma de cone. A comida japonesa não só foi incorporada ao cardápio das chamadas padarias gourmets como também dos quiosques que funcionam dentro de postos de gasolina e supermercados.

A St. Etienne tem três lojas na capital. "A unidade dos Jardins foi a primeira a incorporar a comida japonesa", explica Edson Rico, de 40 anos, um dos sócios da padaria. "Depois, fizemos o mesmo sistema na loja do Alto de Pinheiros. E no mês que vem será a vez da Vila Madalena." Diariamente são vendidos 300 temakis por loja.

Mas o cardápio é mais completo. A padaria tem 30 tipos de pratos japoneses, entre eles receitas quentes como o guioza (tradicional pastelzinho) e o tempurá de sorvete. Os 12 sushimen da padaria preparam 1 mil pratos por dia em cada uma das filiais.

No início deste mês, a Bella Paulista, em Cerqueira César, região central, também entrou na onda oriental. "Não esperava encontrar comida japonesa na padaria", afirma o carioca Cássio Roselli, de 30 anos, analista de negócios que está há dois meses em São Paulo.

"No início, a padaria para mim era um bom lugar para o lanche da tarde. Hoje, vim almoçar e encontrei uma mesa de sushi. Achei ótimo e inesperado", diz Roselli.

Na Bella Paulista, a bancada principal, onde costuma ficar o caprichado café da manhã, é ocupada por sushis e sashimis de vários tipos, do meio-dia às 15 horas. O preço é único, R$ 39,90 por pessoa, e o cliente pode servir-se à vontade. Nos demais horários, servem à la carte, como na St. Etienne.

"A comida japonesa virou tendência. Tínhamos de incluir entre as opções da padaria", diz Luzia Bento, de 28 anos, gerente da Bella Paulista, que recebe diariamente 6 mil clientes de todos os tipos e tribos. O local é barulhento e o cliente, em geral, precisa de paciência para conseguir um lugar no balcão ou nas mesas. E depois ainda esperar um pouco mais para ser atendido pelos garçons. O clima não tem nada a ver com o ambiente zen dos tradicionais restaurantes japoneses de São Paulo.

Fast-food. Mas isso não tem importância para os fãs da culinária japonesa. O publicitário Luciano Engel, de 36 anos, por exemplo, costuma comer até yakissoba (macarrão com legumes e carne) no Butoh Express, quiosque japonês no R Três Auto Posto, no Paraíso, zona sul da capital.

"Eu não tenho tempo para sentar e esperar a comida chegar no restaurante", explica. "Antes de abrir o quiosque costumava comer no McDonald"s. Foi o jeito de trocar o pão e a gordura por um fast-food mais saudável." O Butoh Express tem 11 variedades de temaki, além de camarões prensados. O mais barato é o de arroz e pepino, R$ 7.

"Abri o quiosque em parceria com um restaurante dos Jardins para garantir boa qualidade nos pratos e no serviço", explica Marcio dos Reis Oliveira, de 40 anos, um dos sócios do posto.

Nas grandes redes de supermercados as bandejas prontas de sushis e sashimis já viraram opção corriqueira das geladeiras. No Hirota da Aclimação, região central, os funcionários da peixaria cortam o peixe para sashimi. É só o cliente pedir. E não cobram nada a mais por isso.

Sushi bar é o diferencial de 17 lojas do Pão de Açúcar espalhadas pelo Estado. "As unidades recebem peixe fresco diariamente", diz Meg Felippe, gerente de Desenvolvimento Comercial do Grupo Pão de Açúcar.

"Antes a turma natureba era minoria. Hoje, há cada vez mais paulistanos preocupados com a saúde", diz Rico, da St. Etienne. "Por isso, a comida japonesa ficou tão popular e é vendida até nas minhas padarias."

ADESÃO

St. Etienne

O temaki é o campeão de vendas. Em 2º lugar fica o hambúrguer e em 3º, o combinado de sushi e sashimi.

Pão de Açúcar

Vendas na peixaria aumentaram 50% nas lojas com sushi bar.

Butoh Express

Nem no dia da inauguração deu prejuízo.

Serviço

ONDE: ST. ETIENNE: TELS.: (11) 3885- 8691 (JARDINS) E (11) 3032-1200 (ALTO DE PINHEIROS); DAS 11H ÀS 6H. BUTOH EXPRESS: R. VERGUEIRO, 1.648, PARAÍSO, DAS 12H ÀS 4H. BELLA PAULISTA: R. HADDOCK LOBO, 354; DAS 12H ÀS 15H

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.