Agentes temem ataques após transferências

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo, Daniel Gandolfo, disse que os agentes estão em estado de alerta porque temem que a transferência de líderes do PCC para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) provoque ataques aos agentes que trabalham nos presídios da região. Segundo Gandolfo, a situação está tensa dentro das penitenciárias.

CHICO SIQUEIRA , ESPECIAL PARA O ESTADO, ARAÇATUBA, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2012 | 02h05

Um dos responsáveis pela onda de execuções de policiais militares em São Paulo, o detento Roberto Soriano, o Betinho Tiriça, foi levado anteontem para novo isolamento de seis meses no RDD da Penitenciária de Presidente Bernardes. Em maio, Tiriça havia sido condenado a 180 dias de RDD por ter ordenado, em um bilhete, a morte de seis policiais da Rota.

Anteontem, a Justiça determinou novo isolamento, por mais 180 dias, por ele ter sido flagrado em interceptações telefônicas organizando novas ações.

Outros líderes do PCC - Abel Pacheco de Andrade, o Vida Loka, e Alexandre Campos dos Santos, o Jiló - também foram punidos. Anteontem foram levdos da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau para o Centro de Readaptação Penitenciária (CRP), de Presidente Bernardes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.