Agente penitenciário é morto na frente da mulher e da filha, em Itaquaquecetuba

O agente penitenciário Mário Resende Júnior, de 53 anos, foi executado a tiros às 15h de ontem em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. O assassinato aconteceu três dias depois da prisão, na mesma cidade, de três homens acusados de integrar o Primeiro Comando da Capital (PCC). Com eles foram apreendidas cartas da facção ordenando atentados a ônibus, escolas, postos da Guarda Civil Metropolitana e da PM. Júnior foi assassinado na frente da filha de 8 anos. Ele fazia compras com a criança e a mulher no sacolão municipal de Itaquaquecetuba. O agente penitenciário trabalhava no Grupo de Intervenção Rápida (GIR), uma unidade de elite criada para conter tumultos e rebeliões nas unidades prisionais do Estado.

, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.