Agência prorroga vazão mínima do reservatório de Santa Cecília

Segundo a ANA, o objetivo é preservar os estoques de água nos reservatórios da bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2014 | 16h48

RIO - A Agência Nacional de Águas (ANA) prorrogou até 30 de setembro a vazão mínima da barragem de Santa Cecília, no Rio Paraíba do Sul, em 165 metros cúbicos por segundo. Em 17 de julho, a agência reguladora autorizou a redução da vazão de 190 m³/s para os atuais 165 m³/s, cujo prazo terminava nesta sexta-feira, 15.

A prorrogação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta. Segundo a ANA, o objetivo é preservar os estoques de água nos reservatórios da bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul, incluindo as barragens de Paraibuna, Santa Branca, Jaguari e Funil.

De acordo com nota publicada no site da agência, essa prorrogação de vazão em 165 m³/s será "acompanhada de avaliações periódicas dos impactos da medida sobre os diversos usos da água na bacia do Paraíba do Sul, que deverão observar tanto a diminuição de vazão que fluirá a jusante (abaixo) da barragem de Santa Cecília e da vazão de bombeamento para o rio Guandu".

As análises serão feitas pela ANA, pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e pelo governo do Estado do Rio de Janeiro. O Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (CEIVAP) e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu darão apoio às avaliações.

A resolução ANA nº 1.038/2014 , que prorroga a vazão de 165 m³/s em Santa Cecília também considera a importância da bacia do Rio Paraíba do Sul para o abastecimento de diversas cidade no Rio, São Paulo e Minas Gerais e a necessidade de cumprir as regras de operação dos reservatórios para preservar os usos múltiplos da água.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.