Agência pedirá à Sabesp esclarecimento sobre pressão da água

Nesta quarta-feira, 25, presidente da estatal reconheceu não seguir as normas de pressão de água recomendadas pelas Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABTN)

Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2015 | 18h04

A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) pedirá esclarecimentos à Sabesp sobre as declarações do presidente da estatal paulista da água, Jerson Kelman, que reconheceu nesta quarta-feira, 25, não seguir as normas de pressão de água recomendadas pelas Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABTN). 

Os critérios definidos pelo órgão estabelecem que a pressão deve ser de, no mínimo, 10 metros de coluna de água para que seja possível encher as caixas dos usuários. Em algumas regiões da cidade esse volume chega atualmente a 1 metro.

"Quando se aplica o redutor de pressão em algumas horas do dia há pontos da rede que obviamente não tem a pressão exigida pela ABNT para condições normais. Não estamos em situação normal. A alternativa para isso seria o rodízio, que é mais sacrificante para a população", afirmou Kelman.

 

O dirigente da estatal foi inquirido nesta quarta pelos vereadores paulistanos da CPI que investiga as ações da Sabesp na crise hídrica.         

Em dezembro do ano passado o governador afirmou que a Sabesp seguia as normas da ABNT. Apesar do pedido, a agência não tem poder de impor qualquer tipo de sanção ao governo paulista.  

Mais conteúdo sobre:
São Paulo crise da água Sabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.