Agência bancária é alvo de ladrões de caixa pela 2ª vez em 20 dias na zona leste

Neste segundo ataque, três bandidos foram presos no local do crime por policiais civis

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

02 de maio de 2012 | 05h42

SÃO PAULO - Uma mesma agência do Banco do Brasil, localizada na altura do nº 2.460 da Avenida Marechal Tito, em São Miguel Paulista, na zona leste da capital, foi alvo de criminosos especializados em arrombamento de caixas eletrônicos nos últimos 20 dias.

 

No primeiro ataque, ocorrido em 12 de abril, ninguém foi preso, mas desta vez, às 23 horas de terça-feira, 2, três bandidos foram surpreendidos por policiais civis do da Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, no momento em que arrombavam uma das máquinas, com a utilização de maçarico e outras ferramentas.

 

Os agentes foram acionados após a empresa de monitoramento detectar a presença dos ladrões no interior, ação que foi gravada pelas câmeras de segurança. Os bandidos já concluíam o furto quando os policiais chegaram. Houve troca de tiros, mas ninguém se feriu. Os três suspeitos que estavam no interior da agência foram presos com uma espingarda calibre 12.

 

Os demais, que aguardavam do lado de fora, em um veículo, foram os que dispararam contra os policiais e conseguiram fugir. O trio detido foi encaminhado para o 22º Distrito Policial, de São Miguel Paulista. A polícia agora espera, com os bandidos presos, encontrar o restante da quadrilha e apurar se os três e o grupo do qual eles fazem parte já realizou outros ataques.

 

Ataques. Desde o começo do ano, a reportagem do estadão.com.br apurou 43 casos de ataques, a maioria no período noturno, a caixas eletrônicos na Região Metropolitana de São Paulo. Até o momento 10 bandidos foram presos. Foram 17 casos na capital e 26 nos demais municípios. Em janeiro ocorreram 13; em fevereiro, 8; em março, 15; e em abril 6. O registrado na noite de ontem seria o primeiro caso de maio.

 

Na Grande São Paulo, os casos ocorreram em Osasco (2); Guarulhos (5); Itaquaquecetuba(1), Carapicuíba (2), Santo André (2), Cotia (3), Barueri (1), SBC (1), Ferraz (1), Mogi das Cruzes (2), Vargem Grande (1), Mauá (1), Santana de Parnaíba(2), Suzano(1), e Itapevi (1). Entre os 43 ataques, 30 foram realizados com uso de explosivos e 12 com ferramentas; em apenas um dos casos, os criminosos retirara a máquina do local.

 

O alvo preferido dos criminosos foram as agências bancárias (16 casos); seguido de supermercados (8).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.