Agência autoriza Sabesp a cancelar bônus e multa nas contas

Medida passa a valer para as faturas registradas a partir de 1º de maio; companhia diz que pode prever melhor nível dos mananciais.

Vitor Tavares, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2016 | 12h30

SÃO PAULO - A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) autorizou o encerramento do Programa de Incentivo à Redução de Consumo de Água e da Tarifa de Contingência da Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp), na quarta-feira, 30.  A medida começa a valer para as faturas de consumo cujas leituras serão realizadas a partir de 1.° de maio de 2016.

A iniciativa da Sabesp, aplicada a partir de 2014, durante a crise hídrica, oferecia desconto para os que economizavam água, via bônus, e ainda cobrava tarifas de contingência (multas) para quem elevava o consumo. A Sabesp solicitou o encerramento das medidas na última semana, por considerar que a situação hídrica atual permite uma "maior previsibilidade sobre as condições dos mananciais". 

De acordo a decisão da Arsesp, a Sabesp deverá manter a divulgação da situação dos sistemas produtores que abastecem a Região Metropolitanas de São Paulo, assim como campanhas de incentivo a medidas de economia e uso racional da água. 

Ao anunciar o fim do programa, no dia  25 de março, o diretor presidente da Sabesp, afirmou que, mesmo que se repitam condições de seca registradas em 2014 e 2015, "a segurança hídrica estará integralmente garantida". No último dia 7 de março, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decretou o fim da crise hídrica em São Paulo, dizendo que a questão da água estava "resolvida".

 

Mais conteúdo sobre:
SabespGeraldo AlckminPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.