Aerosmith leva cascata de hits ao Anhembi

É hoje que a nave do Aerosmith pousa nas imediações do Aeroporto Campo de Marte. Com um repertório de 22 canções, um disco recente que renova seu legado e uma sempre admirável disposição de seus dois homens de frente, Steven Tyler (voz) e Joe Perry (guitarra), o Aerosmith é a maior atração do festival Monsters of Rock, que deve reunir mais de 30 mil pessoas no Anhembi.

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2013 | 03h12

O disco novo do Aerosmith é a demonstração que a banda não é um dinossauro estagnado. Music from Another Dimension, o primeiro álbum em oito anos, "é o melhor disco que fizemos em 20 anos", sentenciou o guitarrista Joe Perry em entrevista ao Estado. No show, eles dão o que o público quer ouvir, com uma cascata de hits, como Cryin, Jaded, Don't Want to Miss a Thing, Walk This Way, Dream On e mais uma dezena de clássicos (no Rio, tocaram Angel, fora de seu repertório havia três anos). No meio de tudo, uns afagos extras,c omo covers de Beatles (Come Together) e Fleetwood Mac (Stop Messin' Around).

Sem o seu baixista titular, Tom Hamilton (que teve de voltar para casa por um problema de saúde), a banda se apresenta com David Hull, que já tinha tocado em três ocasiões com o grupo. A outra grande atração do dia de hoje é o Whitesnake, banda de Yorkshire, Inglaterra, que já soma 36 anos de rock'n'roll.

Em 2011, o Whitesnake se apresentou em São Paulo no Anhembi, em jornada dupla com o Judas Priest, apresentando a Forevermore Tour 2011. Seu lendário vocalista, David Coverdale, de 62 anos, que apareceu no rock como um derivado de Robert Plant, acabou sendo ungido pelo próprio grupo de Plant, o Led Zeppelin, e chegou a gravar e excursionar com seu guitarrista, Jimmy Page.

Outros veteranos que tocam no festival hoje são o Dokken, o Queensrÿche, o Buckcherry e o Ratt (esses últimos passaram por um perrengue recentemente ao voarem em um jatinho pelos Estados Unidos ao lado do apresentador da jornada, Eddie Trunk; o avião teve problemas no ar e teve de fazer um pouco de emergência).

O festival Monsters of Rock volta a agitar o cenário nacional após um hiato de 15 anos. Criado na década de 1980 no Autódromo de Castle Donington, na Inglaterra, o festival também teve versões em 2008 no Chile e na Espanha. No Brasil, teve quatro edições em São Paulo (em 1994, 1995, 1996 e 1998).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.