Aeroportos de SP são reabertos para pousos, mas atrasos já chegam a 40%

Segundo Infraero, maior índice de voos domésticos atrasados estão em Congonhas, Cumbica, Viracopos, Galeão, Salgado Filho e Afonso Pena

Ricardo Valota, da Central de Notícias,

11 de junho de 2011 | 09h46

SÃO PAULO - O fechamento para pousos, desde as 6 horas, tanto no aeroporto internacional de São Paulo em Cumbica, Guarulhos, como no aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, em razão do mau tempo e denso nevoeiro, reflete na saída dos voos de diversos aeroportos brasileiros nesta manhã de sábado.

 

Congonhas ficou fechado para pousos e decolagens entre 6h e 7h45. Às 8 horas, as decolagens foram autorizadas e, 20 minutos depois, foi a vez dos pousos começarem a ser liberados. Em Cumbica, as decolagens não chegaram a ser suspensas, mas os pousos tiveram que ser alternados até as 9h20. Os voos internacionais foram desviados para o Galeão, no Rio; já os domésticos, para Viracopos (Campinas), Confins (Belo Horizonte), Vitória (ES) e Galeão, no Rio.

 

O aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, ficou fechado para pousos e decolagens até as 9 horas. Em Porto Alegre, o aeroporto Salgado Filho está com o saguão lotado em razão do fechamento das bases aéreas em São Paulo. Até as 11h desta manhã, 40% dos voos domésticos tiveram algum atraso.  Um total de 91 (9,5%) voos foram cancelados.

 

Os aeroportos que mais sofrem com atrasos nos voos são: Congonhas, Cumbica, Viracopos (Campinas), Galeão (Rio) e Salgado Filho (Porto Alegre). Na última hora, entre 8h e 9h, 15,7 % dos voos domésticos de todo o país registraram atrasos superiores a 30 minutos.

 

Texto atualizado às 11h50.

Tudo o que sabemos sobre:
aeroportosInfraeroatrasos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.