Aeroporto de Congonhas está condenado, diz pesquisador

Especialista aconselha que aeroporto fosse instalado longe do centro expandido de São Paulo

Agência Estado,

18 de julho de 2007 | 00h08

O pesquisador Ivan Sant'Anna, estudioso de acidentes aéreos, disse nesta terça-feira, 17, ao comentar o acidente do Airbus da TAM, que o aeroporto de Congonhas está "condenado". Segundo Sant'Anna, que é autor de livros sobre o tema e falou à rádio Eldorado, o aeroporto da capital paulista deveria ser fechado em dias de chuvas. Ele lembrou que o episódio de hoje ocorreu apenas um dia após ter acontecido outro acidente, que envolveu a derrapagem de um avião da companhia Pantanal em pista molhada em Congonhas, embora com muito menor gravidade e sem vítimas. Veja também Os acidentes mais graves da aviação brasileira Galeria de fotos Tudo sobre o acidente da TAM  "A situação é dramática", afirmou o pesquisador, para quem o forte crescimento do tráfego aéreo nos últimos torna mais urgente uma solução para o pouso de aeronaves em São Paulo. A saída, em sua avaliação, deverá passar pela construção de um novo aeroporto fora da área urbana da capital. Ainda que o novo aeroporto fique distante, em torno de 50 quilômetros da região central, o problema poderia ser sanado com a construção de uma linha de trem para fazer o transporte dos passageiros até a cidade. Ivan Sant'Anna reconhece que dificilmente um novo aeroporto ficará pronto antes de seis ou sete anos. Por isto, no curto prazo, a saída seria fechar Congonhas em dias de chuva e direcionar o tráfego aéreo para outros aeroportos próximos de São Paulo. Ele também defende que o número de vôos seja reduzido para diminuir o risco de acidentes. "A aviação está crescendo muito e Congonhas está muito congestionado; é um aeroporto muito pequeno para o porte da cidade", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.