Advogados tentam desqualificar Eliza e vão recorrer para convocá-la a depor

CASO BRUNO

, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2010 | 00h00

No primeiro dia de depoimento no processo por cárcere privado e ameaça contra Eliza Samudio, a defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes e de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, tentou desqualificar a vítima. "Qualquer camelô de Belo Horizonte sabe que essa menina fazia filme pornô", disse o advogado Ércio Quaresma. "O comportamento dessa Eliza foge a qualquer padrão médio de ética e moral."

A defesa disse que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que Eliza - que a polícia afirma estar morta - seja convocada. "Se ele diz que ela está viva, ele deve apresentá-la. A mãe vai adorar saber que ela está viva", disse José Arteiro, advogado da mãe de Eliza, Sônia Moura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.