Advogado mata filho e depois se suicida em Sorocaba

Família disse à polícia que homem ameaçava o filho durante discussão e arma teria disparado acidentalmente

Letícia Bragaglia e Michelly Teixeira, Agência Estado

18 de outubro de 2009 | 13h49

O advogado Paulo Fernando Coelho Fleury, de 47 anos, e seu filho Paulo Fernando Coelho Fleury Filho, de 20, morreram na noite de sábado após uma discussão na casa da família, no Jardim das Américas, em Sorocaba.

 

Paulo Fleury, que era irmão do ex-governador de São Paulo Luiz Antônio Fleury Filho, teria discutido com o filho e disparado um tiro em sua direção, atingindo a axila esquerda. Em seguida, Fleury teria apontado o revólver calibre 32 para a têmpora direita e disparado, morrendo imediatamente.

 

A polícia não confirmou os rumores de que a discussão teria sido provocada pelo fato de o jovem ter batido o carro do pai. Após acertar o filho no tórax - ainda não se sabe se tiro foi de propósito ou acidental -, Fleury Filho disparou contra a própria cabeça.

 

Segundo a polícia, que ouviu relatos da família, Fleury teria ameaçado o filho com o revólver, que teria disparado acidentalmente. Outra hipótese, segundo os parentes das vítimas, é que o advogado teria tentado dar um tiro de advertência e acertado o rapaz.

 

Os familiares do advogado serão ouvidos novamente pela Polícia Civil somente nesta segunda-feira. Segundo a polícia de Sorocaba, os primeiros depoimentos foram postergados porque os familiares entraram em estado de choque.

 

Segundo a polícia, a mãe e uma das filhas do casal estavam em casa no momento da tragédia. Como entraram em estado de choque após o crime, as duas foram encaminhadas neste domingo ao hospital de Sorocaba. Uma coletiva de imprensa deve ser convocada pela polícia na segunda.

 

A polícia não acredita na possibilidade de haver o envolvimento no crime de uma terceira pessoa. A arma foi encontrada ao lado do corpo do advogado. Por volta das 23h, após a perícia técnica feita no local, os corpos foram retirados da cena do crime.

 

Os corpos de pai e filho foram velados até o início desta tarde na Ofebas, em Sorocaba, e enterrado por volta das 13h, no Cemitério Pax, na zona leste da cidade.

 

Paulo Fernando Coelho Fleury era um advogado conhecido na região de Sorocaba, onde prestava assessoria jurídica a vários municípios. Ele havia atuado recentemente na Operação Pandora, da Polícia Civil, obtendo a soltura da ex-presidente regional do Sindicato do Comércio de Derivados de Petróleo (Sincopetro), Ivanilde Vieira Serebrenic, presa na operação.

 

Nas últimas eleições municipais, concorreu ao cargo de vice-prefeito pelo PTB. Antes havia sido delegado, mas pediu exoneração do cargo para se dedicar à advocacia. Também era jornalista e presidiu a Associação Sorocabana de Imprensa (ASI). Ele era casado e tinha outras duas filhas. O filho dele era estudante de direito.

 

(Com José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo)

 

Atualizado às 17h39 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
assassinatoSorocabapolíciacrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.