Advogado leva à polícia roupas de Isabella e madrasta

Os trajes foram usados por Anna Carolina e por Isabella no dia da morte da criança

Camila Tuchlinski, da Agência Estado,

14 de abril de 2008 | 17h38

O advogado Ricardo Martins, que defende o casal Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella Nardoni, levou nesta segunda-feira, 14, à polícia, roupas usadas por Anna Carolina e pela menina no dia da morte da criança.  VEJA TAMBÉM‘Não possuo inimigos nem sofri ameaças’, diz pai de Isabella ‘Tinha ciúmes da mãe de Isabella’, afirma madrasta da garota  ‘Desde o início, não aprovamos Alexandre’, dizem avós de Isabella ‘Ouvi gritos dizendo papai, papai, papai ... pára... pára’, diz vizinho ‘Casal não desceu junto após queda da menina’, diz porteiro ‘Anna gritava palavrões no jardim do prédio’, diz síndico Habeas-corpus do casal Nardoni deve ser definido dia 22Psicanalista fala sobre a comoção gerada por 'crimes inusitados'Acompanhe a investigação do casoPolícia ouve depoimento de vizinha do casal NardoniPerícia vai pôr casal na cena do crimePolícia já admite pedir prisão preventiva de casalOutros casos de crianças mortas seguem sem solução Crime muda vida de moradores do Edifício London  Foram levadas uma camiseta verde e outra vermelha, ambas de manga comprida, que pertencem a Anna Carolina, além de uma bata de Isabella, que ela vestia nas imagens captadas pelas câmeras de um supermercado onde a família havia feito compras, antes da tragédia. Segundo Martins, essas são as últimas peças que ainda não haviam sido entregues. "Todas as roupas do Alexandre já foram entregues", disse. Indagado sobre o tempo que demorou para a polícia ter acesso às roupas, já que a menina morreu no dia 29, o advogado se limitou a responder que as peças não foram entregues antes "porque não haviam sido solicitadas". Ele não disse se as roupas foram lavadas e explicou que a bata de Isabella era diferente da que a menina usava quando foi jogada do sexto andar do apartamento, no crime que causou sua morte.  Segundo Martins, Isabella trocou de roupa, entre o retorno do supermercado e o momento em que foi morta, porque havia derrubado refrigerante no traje. O advogado informou ainda que Alexandre e Anna Carolina já retornaram para a casa de Antonio Nardoni, pai de Alexandre.  Hoje, a polícia ainda tomará mais depoimentos, mas não informou quantos serão e nem quem será ouvido. Nesta segunda-feira já foram ouvidas dias pessoas. Ao todo, 53 depoimentos foram tomados desde o início do caso.

Tudo o que sabemos sobre:
caso isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.